Pitacos: Ricardo Resende teve noite de Chamusca no Botafogo; Rickson improvisado? Por que Rafael Navarro sempre sai?

115 comentários

Blog da Redação

Blog da Redação

Compartilhe

Ricardo Resende - Brusque x Botafogo
Reprodução/Premiere

* Ricardo Resende é um técnico promissor, conhecedor do futebol de base e que fez o sub-20 do Botafogo sair de série de derrotas para um time competitivo e bem montado. Tem crédito no clube. A ponto de ter sido colocado como interino para o jogo com o Brusque. Porém, cometeu erros grosseiros que foram determinantes na derrota.

* Com Ricardo Resende, o Botafogo baixou as linhas e não marcou tanto no campo de ataque, o que faz sentido, já que o time vivia espaçado em outros. Segurou a pressão inicial, abriu 1 a 0, teve mais oportunidades e controlou o primeiro tempo. Mas, tal qual Marcelo Chamusca, Ricardo errou a mão para o segundo tempo.

* Ao perder Marco Antônio, Ricardo Resende optou por Rickson, que estava sem ritmo de jogo e mal vinha sendo relacionado na Série B. Rickson entrou de extremo pela direita, embora o técnico após o jogo tenha falado que era para ele ser volante e Pedro Castro meia. Com uma mexida, o interino bagunçou a equipe e perdeu poder ofensivo. Poderia ter colocado Warley, Ênio ou Felipe Ferreira.

* Para piorar, quando Warley foi chamado, pareceu que o Botafogo corrigiria o erro e tiraria Rickson. Não foi o que aconteceu. Rickson então virou lateral-direito. Sem ritmo e improvisado de novo, ficou mais perdido. Por fim, Rickson virou volante no lugar de Pedro Castro.

* Ricardo Resende tirou dois jogadores que davam consistência defensiva e poder de marcação no jogo: Daniel Borges e Pedro Castro. Fez o time girar em torno de Rickson, para achar uma posição para ele. Aí não dá.

* Já fizemos essa pergunta em relação ao Chay: por que Rafael Navarro tem que ser substituído em todo jogo? Contra defesas postadas, ele dá trabalho, faz gols e participa. No segundo tempo, com o jogo aberto, teria mais espaço. Saiu por volta dos 15 minutos para a entrada de Rafael Moura. Não faz sentido algum. Para completar, o He-Man ainda perdeu gol fácil, que praticamente garantiria a vitória.

* O Botafogo levou 14 de 16 gols sofridos na Série B no segundo tempo. Vem tomando viradas com frequência. Já está provado que o time não consegue se defender e segurar resultados quando está vencendo. Então, por que não tentar matar o jogo? O time recuou contra o Brusque e foi castigado. Fica novamente como lição.

* Interessante a estreia do jovem Lucas Mezenga no Botafogo. Mostrou personalidade, boa saída de bola, segurança e não comprometeu. Uma pena que os companheiros não acompanharam o nível. Kanu deu bobeadas cruciais quando deveria estar colado em Edu e Rafael Carioca falhou diversas vezes.

* O Botafogo precisa de um treinador e precisa de reforços. Não tem jeito. Não adianta querer economizar, continuar na Série B vai ser pior. O clube necessita de um técnico com mentalidade vitoriosa, capaz de cobrar os jogadores, dar intensidade à equipe e modificar o ambiente. Antes que seja tarde demais.

Fonte: Redação FogãoNET

Notícias relacionadas