Botafogo pode gastar até R$ 85 milhões com renovações no fim da temporada 2023

63 comentários

Blog do Gentile

Blog do Gentile

Compartilhe

Botafogo pode gastar até R$ 85 milhões com renovações no fim da temporada 2023

O Botafogo tem uma missão importantíssima o aguardando no fim da temporada 2023. É que em dezembro acabam os contratos de seis jogadores do elenco – cinco deles envolvem grandes (ou relevantes) cifras de direitos econômicos. Levando em consideração que o Glorioso diga “sim” para todas as operações juntas, o montante poderá chegar até a R$ 85,3 milhões.

Possivelmente o Botafogo não deverá escolher pela renovação de todos esses atletas. No entanto, é inegável que a decisão precisa ser bem feita. Algumas dessas escolhas, inclusive, devem render ainda mais dinheiro para John Textor. Caso, por exemplo, de Luis Henrique.

O jovem atacante tem renovação de contrato atrelada a metas. Se as alcançar, o jogador obriga o Botafogo a pagar 6,5 milhões de euros ao Olympique de Marselha (FRA). Segundo histórico do próprio atleta, tudo indica ser bom investimento. Recentemente o Alvinegro recebeu proposta superior a essa quantia, mas Luis Henrique quis ficar no Glorioso. Ou seja, tudo indica novas ofertas mais para frente.

Carlos Alberto é outro que pode render grana. O jogador tem opção de compra em US$ 1 milhão (R$ 4,9 milhões) junto ao América-MG e tem tudo para valorizar ainda mais em 2024 – principalmente por ter sido importante em determinado momento do Brasileirão.

Lucas Fernandes também tem metas a bater para ser comprado pelo Botafogo por 4 milhões de euros (R$ 21,2 milhões) junto ao Portimonense (POR). No entanto, esses gatilhos não devem ser batidos e muito dificilmente o jogador seguirá no clube em 2024.

Outros dois jogadores estão com valor fixado e opção de compra em dezembro. Gabriel Pires custa 3 milhões de euros (R$ 15,9 milhões) junto ao Benfica (POR). Já Di Placido é US$ 1,8 milhão (R$ 8,9 milhões) ao Lanús (ARG).

O Botafogo não deverá tomar nenhuma atitude nesse momento, deixando tudo para dezembro, mês que os vínculos se encerram. O clube, assim, poderá tomar as decisões após o fim do Campeonato Brasileiro e com a temporada já resolvida.

Notícias relacionadas