Da inspiração no Vestiário Alvinegro à mídia tradicional cobrindo o Botafogo, agora estou do lado de cá no FogãoNET

61 comentários

Blog do Gentile

Blog do Gentile

Compartilhe

Escudo do Botafogo
Reprodução

Escolhi pelo jornalismo ainda durante o ensino médio. Apaixonado por futebol e pelo Botafogo tinha como objetivo viver os bastidores do clube. É que eu tinha ficado encantado com a cobertura do que por muito tempo foi uma referência para caras como eu. Entrar no Vestiário Alvinegro era cativante e motivo de ansiedade, ávido por novidades.

Quem é das antigas sabe o que estou falando. Ricardo Baresi e suas apurações de Botafogo nos transportavam para dentro dos muros de General Severiano, algo que não ocorria nos sites tradicionais. O encontrei anos depois na pós-graduação em jornalismo esportivo que fiz na FACHA, e contei que ele era um dos responsáveis por me fazer cursar jornalismo. Ele e o Botafogo, claro.

Meu caminho foi diferente do amigo Baresi, pois trabalhei por mais de uma década na mídia tradicional. Por lá aprendi muita coisa, até o que não deve ser feito. Fato é que o UOL e a convivência diária com profissionais de alto gabarito me fizeram ser quem sou – deixo aqui um beijo especial para Pedro Ivo Almeida, Vinícius Castro e Roberta Nomura.

Mas havia um passo que sempre quis dar e me faltava coragem – ou a oportunidade. E ela chegou. Hoje inicio minha trajetória no FogãoNET, o que para mim é motivo de muito orgulho. Mais que isso, faz tudo parecer ter ainda mais sentido. Me reconecto com aquele jovem sonhador, que consumia tudo e qualquer informação sobre o Glorioso.

Agora estou do lado de cá. Sempre estive na real. Mas é diferente e só a gente entende esse sentimento. Vamos juntos?

Notícias relacionadas