A Chapa Preta e Branca, liderada por Marcelo Guimarães e Mauro Sodré, lançou, na noite desta quinta-feira, em Copacabana, seu programa de propostas para a eleição no Botafogo que acontecerá no próximo dia 25 de novembro. O tom inicial da apresentação da parceria foi de mágoa com a atual diretoria, presidida por Carlos Eduardo Pereira, que tenta seguir no poder com Nelson Mufarrej.

Marcelo Guimarães disse que se sente magoado porque, segundo ele, nunca foi chamado para conversar sobre ideias para o futuro do clube desde o início da gestão CEP (2014/2015).

– Nunca fui chamado em nome dos 234 votos da última eleição. Nem para um cafezinho. Tenho tudo por escrito – lamentou o ex-diretor de marketing, que destacou algumas vezes durante o encontro que sua chapa não era “de oposição”, e sim “alternativa“.

O candidato a vice-presidente, Mauro Sodré, fez coro sobre a dificuldade de acesso ao grupo político Mais Botafogo, que comanda General Severiano. De acordo com o procurador federal, não há abertura para contribuição.

– Este modelo é motivado pela raiva e ódio muitas vezes. Queremos um Botafogo profissional, sem preconceitos. Hoje em dia é um feudo, um núcleo fechado, que não se pode contribuir – protestou.

Presidente da Herbalife e líderes de torcidas organizadas marcam presença no lançamento da chapa de oposição

O encontro dos candidatos com apoiadores e imprensa iniciou-se por volta de 19h e terminou um pouco depois das 21h. Antonio Carlos Mantuano e André Silva, nomes conhecidos da chapa, estavam presentes. Quem apareceu e foi saudado pelos anfitriões foi Antonio Jorge, presidente da Herbalife no Brasil. As torcidas organizadas Loucos Pelo Botafogo, Fogoró e Folgada também compareceram ao evento.

Heitor, líder da Folgada, esteve no encontro com Marcelo Guimarães e Mauro Sodré, candidatos à presidência do BotafogoHeitor representou a torcida Folgada no encontro com candidatos em Copacabana(Foto: Carlos Eduardo Sangenetto/FogãoNET)