Ministro do governo Lula, Flávio Dino diz em posse do novo diretor-geral da Polícia Federal que torcer para o Botafogo é ‘exótico’

288 comentários

Carlos Eduardo Sangenetto

Carlos Eduardo Sangenetto

Compartilhe

Flávio Dino, ministro da Justiça e Segurança Pública do governo Lula na posse do diretor-geral da Polícia Federal Andrei Rodrigues (10/1/2023)
Reprodução/TV Brasil

Ministro da Justiça e Segurança Pública do Governo Lula, Flávio Dino (PSB) é torcedor do Botafogo, muitos já sabiam pela imprensa ou até mesmo por algumas manifestações públicas. Mas nesta terça-feira (10/1), em discurso durante a posse de Andrei Passos Rodrigues como diretor-geral da Polícia Federal, em Brasília, o político arrumou um jeito de inserir o Glorioso em sua fala.

Segundo Dino, torcer para o Botafogo é “exótico”.

– Nós não somos e não podemos ser adeptos do vale tudo. Não é a lei do mais forte. Os fins não justificam os meios, por mais nobres que eventualmente eles sejam. Independentemente de preferências ideológicas-políticas-eleitorais, não me interessa, como representante do presidente Lula no comando desta instituição, em quem as pessoas votaram. Não me interessa em quem votarão. Respeito todos os gostos, por mais exóticos que eventualmente sejam. Eu, por exemplo, sou botafoguense. Independentemente de em uma avenida transitarmos pela direita ou pela esquerda, todos nós temos que cumprir o código de trânsito – disse o ministro, em parte do discurso, na sede da Polícia Federal (assista ao vídeo no fim da matéria).

Advogado, professor e ex-juiz federal, Flávio Dino foi eleito senador nas eleições de 2022 pelo Maranhão, estado que governou por dois mandatos consecutivos, de 2015 até o ano passado. Quando era governador, no auge da campanha alvinegra na Libertadores de 2017 ganhou uma camisa autografada do Botafogo das mãos do ídolo Túlio Maravilha (veja abaixo).

Bannder da loja do FogãoNET

Fonte: Redação FogãoNET