Na manhã desta quarta-feira, em um tribunal itinerante realizado em Salvador, na Bahia, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva deu causa ganha ao Palmeiras sobre o Botafogo por unanimidade (9 votos a 0). Após a decisão, o advogado do clube carioca, Anibal Rouxinol, comentou a sentença e a fala do árbitro durante o julgamento.

“Infelizmente, o tribunal julgou improcedente o requerimento do Botafogo. Em que pese o clube ter total convicção de que ocorreu um erro de direito. Entende que as provas produzidas foram nesse sentido, mas o Tribunal entendeu que não teve o erro de direito ou que ele não teve relevância. E entendemos absolutamente adverso disso. Já que a relevância consiste no fato de ter marcado uma penalidade. Se foi correta ou não, a situação nasce de uma situação irregular que foi o uso do VAR após o reinício da partida”, disse o advogado em entrevista ao FOX Sports Rádio.

“O vídeo mostra bem diferente a dinâmica da jogada. É evidente que ele reiniciou a partida. O movimento com o braço é prova cabal, como eu disse no julgamento. Mas, ali naquela situação, ele optou por não dizer, de fato, o que aconteceu”, afirmou sobre o árbitro ter afirmado que não autorizou o reinício da partida.

Sobre o Botafogo ir ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS), na Suíça, o advogado do Botafogo confirmou que a possibilidade existe, mas ainda será discutida dentro do clube. “Essa é uma possibilidade legal jurídica. Mas, obviamente, será conversada, discutida internamente. Transcende a questão jurídica. Mas isso será discutido, sim”.

Fonte: Fox Sports