A polêmica publicidade divulgada pela Casa&Video na camisa do Botafogo no clássico diante do Fluminense, no último domingo, pode ter sido um gol contra. O Procon vai autuar a empresa anunciante, por considerar que a propaganda do secador de cabelos foi enganosa. O órgão entende que o anúncio foi desleal já que, ao longo da semana, foi feita uma enquete para que o consumidor opinasse sobre qual produto deveria ser estampado na camisa alvinegra. O secador de cabelos foi anunciado a R$ 49 nas costas do uniforme, no primeiro tempo, induzindo o consumidor a acreditar naquele preço. Porém, no segundo tempo, o valor exposto na camisa baixou para R$ 39.

Em conversa com o blog, a Secretária de Proteção e Defesa do Consumidor, deputada Cidinha Campos, informou que a Casa&Video será enquadrada no artigo 6, inciso 4, que diz respeito aos direitos básicos do consumidor.

– Foi propaganda desleal que feriu a boa-fé – definiu a Secretária. – Suponhamos que alguém levantou no intervalo do jogo e foi até uma Casa&Video comprar o secador de presente para a mulher… Só que, quando ele voltou para casa, percebeu que tinha sido enganado em R$ 10. Pode-se sempre baixar o preço, mas nada justifica que se faça a mudança num período tão curto, até porque eles sabiam que fariam isso. Tanto que levaram duas camisas, uma para o primeiro tempo, outra para o segundo. Não fizeram as camisas em 15 minutos – explicou Cidinha.

O processo contra a Casa&Video será aberto na terça-feira. A empresa terá 15 dias para se defender. Se as explicações não forem satisfatórias, uma multa será calculada. A Secretária revelou ainda que informará o ocorrido ao Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária (Conar), que poderá aplicar nova punição à Casa&Video.

Garantindo que a questão estética não interfere em sua linha de atuação, Cidinha Campos admitiu ao blog que não aprova a publicidade adotada pelo Botafogo nas camisas do time.

– Essas propagandas me parecem de mau gosto. Como torcedora (do Flamengo), acho que isso desvaloriza o futebol carioca. Uma coisa é anunciar a marca, mas estampar o preço fica feio. Parece um time de várzea. Não combina com o Glorioso, com a tradição, com o Nílton Santos. Mas isso é só uma opinião de torcedora – criticou a Secretária.

Abaixo, o artigo no qual será enquadrado a Casa&Video:

Art. 6º São direitos básicos do consumidor:

IV – a proteção contra a publicidade enganosa e abusiva, métodos comerciais coercitivos ou desleais, bem como contra práticas e cláusulas abusivas ou impostas no fornecimento de produtos e serviços.

Fonte: Blog da Marluci Martins - Extra Online