Um jogo pode mudar tudo. O chileno Leo Valencia ainda não tinha feito uma grande partidas pelo Botafogo, mas domingo, contra o Flamengo, foi um dos principais jogadores em campo.

A boa performance contra o Rubro-Negro levantou a possibilidade de uma eventual titularidade na quarta-feira, contra o Grêmio, ainda mais com os problemas de João Paulo, que não pôde jogar por determinação do departamento médico — ainda que tudo indique a condição dele e dos demais jogadores que eram dúvida (Joel Carli, Rodrigo Lindoso e Marcos Vinícius) tenha melhorado, pois ontem todos eles subiram ao campo para treinar.

O natural neste momento é que o time seja semelhante ao que venceu o Nacional nas oitavas de final da Libertadores, só com mudanças nas laterais: Arnaldo ganhou a posição de Luis Ricardo e Gilson substitui o suspenso Victor Luis. No entanto, a mudança no meio-campo poderia ser feita para se encaixar às características do jogo, em que o Botafogo deve passar a maior parte do tempo sem a bola e apostar em contra-ataques. O chileno é objetivo e forte fisicamente, e se encaixaria com esse tipo de jogo. Com João Paulo, a equipe perde velocidade mas ganha poder de cadenciamento e qualidade nos passes.

Para incluir os dois no time, há duas opções: Jair pode mudar o esquema de jogo e usar dois armadores. Para isso, teria que tirar um dos pontas que ajudam na marcação (Bruno Silva e Rodrigo Pimpão). Ele também poderia tirar Lindoso ou Matheus Fernandes, recuar João Paulo e deixar Valencia como único armador.

Fonte: Extra Online