A repercussão negativa sobre a opinião dada após a chegada do Reinaldo Rueda ao Flamengo fez o técnico de Jair Ventura se pronunciar novamente. Na noite de segunda-feira, em entrevista ao programa “Boa noite Fox”, do canal Fox Sports, o treinador do Botafogo não se mostrou satisfeito com a chegada do colombiano, e opinou que o Rubro-negro poderia ter contratado um técnico brasileiro.

Nesta terça-feira, Jair Ventura divulgou um comunicado oficial para explicar seu ponto de vista:

“Quero esclarecer que acho legítimo o direito de qualquer clube brasileiro contratar um treinador estrangeiro. Há muitos profissionais competentes em outros países, com condições de repetirem aqui o sucesso que tiveram em outros lugares, como é o caso de Reinaldo Rueda, que tem um currículo admirável”, disse o técnico alvinegro.

Jair Ventura lembrou que nunca poderia criticar estrangeiros justamente porque tem jogadores no elenco do Botafogo, como o capitão argentino Joel Carli.

“E como posso criticar os estrangeiros, se convivo com vários no Botafogo? Eu mesmo morei mais de nove anos fora do país quando jogador e tive essa vivência. Reitero que defendo uma maior valorização dos treinadores brasileiros, de competir em igualdade de condições com os estrangeiros no mercado externo. Infelizmente, a nossa licença ainda não nos dá esse direito”, finalizou o treinador.

Lembrando que Jair e Rueda se enfrentam nesta quarta-feira, em jogo válido pela primeira partida da semifinal da Copa do Brasil, no Nilton Santos, às 21h45.

Veja a nota na íntegra:

“Observando a repercussão de minha declaração sobre a contratação do treinador colombiano Reinaldo Rueda, avaliei que talvez não tenha sido bem claro quando me expressei. Quero esclarecer que acho legítimo o direito de qualquer clube brasileiro contratar um treinador estrangeiro. Há muitos profissionais competentes em outros países, com condições de repetirem aqui o sucesso que tiveram em outros lugares, como é o caso de Reinaldo Rueda, que tem um currículo admirável.

O que questiono e me deixa triste é ver que treinadores brasileiros são vistos com desconfiança e encontram dificuldades para trabalhar no exterior. Além de questões legais, como não reconhecimento de nossa habilitação profissional no mercado europeu. Nossa licença não é aceita na Europa, ao contrário da dos argentinos, por exemplo. Temos que refletir, discutir e buscar maneiras de mudar essa situação.

E como posso criticar os estrangeiros, se convivo com vários no Botafogo? Eu mesmo morei mais de nove anos fora do país quando jogador e tive essa vivência. Reitero que defendo uma maior valorização dos treinadores brasileiros, de competir em igualdade de condições com os estrangeiros no mercado externo. Infelizmente, a nossa licença ainda não nos dá esse direito.”

Fonte: Extra Online