O primeiro dia de treinamentos do Botafogo no Cefat, em Niterói, foi marcado pela apresentação do meia Camilo. A estreia do jogador, porém, será apenas depois do dia 20, com a reabertura da janela de transferências.

Diante de uma ‘oportunidade única’ na carreira, o meia de família alvinegra não esconde o orgulho por defender o clube de General Severiano e a ansiedade para entrar em campo.

– Meu pai só ri. Está muito feliz com essa oportunidade. Eu queria jogar ‘ontem’, mas ainda tenho uns quinze dias de preparação – afirmou o jogador.

Camilo chega em um momento conturbado. Na terça-feira, integrantes de uma torcida organizada invadiram a sede do clube para fazer cobranças à diretoria e aos jogadores depois da terceira derrota consecutiva no Brasileiro, que empurrou a equipe para a lanterna do campeonato.

– O maior patrimônio de um clube é sempre o torcedor. Entendo o amor, mas repudio qualquer tipo de agressão – avaliou o reforço sobre o episódio.

Aos 30 anos, Camilo se diz pronto para ajudar a equipe a sair da situação de desconforto:

– Chego com uma experiência de dois campeonatos pela Chapecoense. Sou voluntarioso taticamente e posso ser o camisa 10. Vai depender do Ricardo Gomes.

Por conta das chuvas que castigaram o gramado de General Severiano nos últimos dias, o Alvinegro treinará até o fim da semana no Cefat, que serve usualmente como centro de treinamento das categorias de base.

No domingo, às 11h, o Botafogo enfrenta o Vitória, plea sétima rodada do Campeonato Brasileiro, no Raulino de Oliveira, em Volta Redonda.

Fonte: Extra Online