Apresentado como técnico do Santos nesta sexta-feira, Jair Ventura, através de um comunicado, fez questão de agradecer ao Botafogo por tudo o que viveu e aprendeu no clube, responsável pela sua formação e onde trabalhou por quase dez anos. Chegou em 2008 como estagiário de preparação física; foi efetivado em 2009 como quarto preparador físico; assumiu a posição de auxiliar técnico em 2010, mesmo ano em que fez seu primeiro jogo como interino, na vitória sobre o Tigres pelo Carioca; foi treinador da categoria Sub-20; esteve à frente do time principal do Alvinegro em 99 partidas, reconduzindo-o de volta a Libertadores; e ajudou a revelar inúmeros jogadores. Foi bicampeão carioca (2010 e 2013), campeão brasileiro da Série B em 2015, quando fez três jogos como interino, e campeão invicto da Copa Spax Cup com a Sub-19, em 2012. Deixa uma bonita história.

“A palavra é gratidão. Obrigado ao clube, que me deu a grande chance de eu me tornar treinador. Obrigado a toda comissão técnica e jogadores, que lutaram e batalharam ao meu lado. Obrigado à torcida, nosso 12º jogador, que sempre me apoiou. O Botafogo não só me formou como profissional, mas também como pessoa. Cheguei estagiário e saí treinador”, disse Jair.

“Fico feliz de ter ajudado a formar e a revelar grandes jogadores durante esse tempo. Graças ao clube, trabalhei também na seleção de base, onde disputei dois Sul-Americanos e um Mundial, de 2010 a 2013. Foi uma decisão muito difícil, porque não é só um clube, é como se fosse a minha casa. Não foi um tchau, mas sim um até logo. É o momento de trabalhar em outro grande centro, em outro gigante do futebol, como o Botafogo”, acrescentou, por fim, o treinador.

Jair Ventura pagou do próprio bolso a multa rescisória que tinha no Botafogo (R$ 800 mil). Ele será ressarcido pelo Santos em breve.

Fonte: Extra Online