Criticado duramente pelo ex-presidente Carlos Augusto Montenegro, Mauricio Assumpção rebateu as alfinetadas. O atual mandatário do Botafogo, até o dia 25 de novembro, baseou sua defesa no pagamento de dívidas antigas.

– Da mesma forma que ajudou muito esta administração atual, o Montenegro sabe que a atual diretoria pagou muitas contas de gestões passadas. Como no caso específico de uma ação no Banco Central, no valor de R$ 9 milhões, que conseguimos reduzir para R$ 7 milhões e acertar o parcelamento. Somente nesta diretoria pagamos mais de R$ 120 milhões de dívidas de gestões anteriores, incluindo acordos, Timemania, dívidas fiscais cíveis e trabalhistas – afirmou ao site “Globoesporte.com”.

Assumpção também falou sobre a decisão de afastar Bolívar, Emerson, Edílson e Julio Cesar e sobre a recusa de Montenegro de voltar a ajudar financeiramente.

– Quero deixar claro meu respeito pelo Montenegro. Ele tem o direito de querer ajudar ou não. Na minha gestão já ajudou muito, inclusive dando aval em operações de crédito. Mas quero deixar claro que obviamente não concordo com essa declaração de que quero ver o Botafogo rebaixado. Ele disse que não ouvi ninguém ao afastar os quatro jogadores. Mas quando o Botafogo perdeu para o River Plate, na Copa Sul-Americana (de 2007), também reclamou publicamente dos jogadores, dizendo que estavam fazendo corpo mole, sem ouvir ninguém. Depois o time, que até então estava bem no Brasileiro e tinha chance de ir à Libertadores, passou a ter um desempenho muito ruim – lembrou Assumpção.

Fonte: Globoesporte.com