JEFFERSON – 6,5
Apareceu mais na confusão causada por Péricles Bassols por causa de seu uniforme. Pouco exigido, teve a tranquilidade de sempre. Sem culpa no gol

LUIS RICARDO – 6,0
O Fluminense não se criou pelo seu setor. No ataque, alternou boas jogadas com erros bobos. Poderia ter ido melhor ofensivamente

JOEL CARLI – 7,0
O xerifão argentino de novo deu poucas chances ao Fluminense. Firme e seguro, ganhou quase tudo

EMERSON – 7,0
Apesar de novo, joga com a categoria de um veterano. Bem na zaga, quase marcou dois golaços em cobranças de falta, um de antes do meio-de-campo. Pode ter bobeado no gol de empate, mas não apaga o bom jogo

DIOGO – 6,0
Sereno na defesa, boa saída pela esquerda e opção de velocidade. Porém, faltou ousadia e mais ações ofensivas

AIRTON – 7,0
Dono do meio-de-campo, controlou a bola o tempo todo. Levou cartão em exagero do árbitro, mas foi bem

BRUNO SILVA – 6,5
Cumpriu seu papel pelo lado direito, marcando, dando opção e jogando com Luis Ricardo

RODRIGO LINDOSO – 6,5
Melhor do que em jogos anteriores, mostrou qualidade no passe e chegou à frente. Cobrou mal falta perigosa

GEGÊ – 6,0
Participação no gol, caneta e organização, além de fechar o lado esquerdo. Cansou no segundo tempo, não conseguia produzir ofensivamente e bobeou no gol de empate ao perder a bola e fazer falta boba

SALGUEIRO – 6,0
Melhor que nos últimos jogos, mostrou categoria, deu uma linda caneta e arriscou chutes. Mas ainda faltam ritmo e entrosamento

RIBAMAR – 8,5
O atacante ganhou tudo na frente, fez um gol de peito, deu opção, fez pivô e lutou até o último instante

NEILTON – 5,5
Não entrou bem. Era para explorar sua velocidade e habilidade, mas foi pouco efetivo

FERNANDES – Sem nota
Não teve tempo para ser avaliado

RICARDO GOMES – 7,0
Apesar do elenco limitado, novamente deu um nó no Fluminense. Seu time é organizado e sabe o que faz. Pode ter demorado a fazer alterações

Fonte: Redação FogãoNET