JEFFERSON: 10
Nota 10 pela marca histórica, por se tornar o 3º maior do Botafogo em jogos. Em campo, foi pouco exigido, mas foi seguro

MARCINHO: 3,5
Não se criou no ataque e deixou espaços na defesa. Justamente vaiado pela torcida

CARLI: 6,0
Conseguia se impor e levar vantagem, até sair lesionado

IGOR RABELLO: 6,0
Também teve atuação tranquila, ganhando a maioria das jogadas

MOISÉS: 3,5
Irreconhecível, errou tudo no ataque e levou vários bolas nas costas. Atuação para esquecer

JEAN: 5,5
Firme, foi bem nas disputas de bola e na disposição

RODRIGO LINDOSO: 5,5
Tentou organizar o jogo e mostrar lucidez, mas só acertou passes laterais

JOÃO PEDRO: 4,5
Não justificou a escolha de Valentim. Não deu sequência às jogadas, por faltar força e velocidade

LEO VALENCIA: 5,5
Teve como virtude não desistir das jogadas e levar perigo nas bolas paradas. Mas foi pouco

AGUIRRE: 5,5
Com força e explosão, foi perigoso em algumas jogadas e chutes. Parece fora de posição

KIEZA: 5,0
Quase não recebeu bolas, por estar isolado. Quando chegou, não foi produtivo

RENATINHO: 5,5
Foi melhor que João Pedro, com mais técnica e chegadas à frente

YAGO: Sem nota
Ficou pouco tempo em campo e assustou a todos ao cair desacordado e levantar grogue

LUIZ FERNANDO: 6,0
Entrou com gás e velocidade pelo lado direito, criando boas jogadas

ALBERTO VALENTIM: 3,0
Mais uma vez seu time não cria jogando em casa. E as alterações não geraram grandes preocupações para o Ceará

Fonte: Redação FogãoNET