O projeto de recuperação do Botafogo capitaneado pelos irmão dos Moreira Salles se prepara para captar dinheiro no próximo mês de outubro. Há otimismo sobre levantamento de recursos. Em paralelo, o clube ainda não tem uma solução no momento para tapar um buraco de até R$ 70 milhões nas contas até o final do ano. Ou seja, a agremiação alvinegra tem que chegar até a praia onde está a possibilidade de ser salva.

O primeiro passo do projeto de iniciado pelos irmãos João e Walter Moreira Salles foi fazer um levantamento da situação do Botafogo. Identificaram a necessidade de formação de um fundo e uma empresa que assumirá todos os ativos em troca de resolver suas dívidas. Para isso, o fundo terá de captar um valor entre R$ 300 milhões e R$ 350 milhões para sanar os débitos de curto prazo e gerar algum investimento.

O projeto já conta com apoiadores e está tocando a formação do fundo e da empresa. Há uma previsão de, em outubro, se fazer um road show para falar com os potenciais investidores para saber de fato quanto cada um está disposto a botar no projeto. Os irmãos Moreiras Salles definiriam a sua participação depois dessa captação de recursos inciais.

Já existem pessoas responsáveis pelo projeto trabalhando como uma espécie de interventor dentro do clube e acompanhando a gestão atual. Mas a fonte de novas receitas para cobrir buracos, pelo menos momentaneamente, secou segundo apurou o blog. Há um temor dos investidores de não conseguir recuperar o dinheiro se colocarem recursos agora pois não há segurança jurídica sem o clube-empresa pronto.

Assim, o clube teria de contar com recursos próprios para resolver suas pendências até o final do ano. Segundo o vice-presidente executivo, Luis Fernando Santos, são necessários R$ 70 milhões, para isso. “Pretendemos obter esses recursos até o final do ano. São várias as possibilidades. Ainda não existe um caminho. Se tivéssemos um caminho, já tínhamos feito”, afirmou ele. Sobre o pagamento de salários atrasados que já somam dois meses, ainda não há prazo. “O mais breve possível”, completou o dirigente.

Uma dos motivos, que está longe de ser o único, para a dificuldade financeira foi a mudança nos pagamentos da Globo neste ano. Além disso, o clube tinha uma dívida com a emissora e portanto, pouco recebeu de TV.

Pelo menos o Botafogo não incluiu na previsão a premiação do Brasileiro. Há um valor para receber entre R$ 11 milhões e R$ 33 milhões da Globo dependendo da posição em que o clube ficar. Caso se posicione no meio da tabela, o clube pode levar pouco menos de R$ 20 milhões, o que contribuiria. Mas isso não resolve a asfixia agora.

“Só incluímos na previsão receitas certas, não variáveis. O problema é que essa premiação entra no final do ano e portanto não resolve nosso problema agora. Poderíamos fazer um empréstimo usando a garantia”, explicou Santos. Ele ainda tem esperança de outro tipo de receita extraordinária: “Pode surgir um patrocínio master. Não precisa ter um contrato de toda a temporada, pode ser de quatro meses.”

Fonte: Blog do Rodrigo Mattos - UOL