Querido Vitinho,

Não sei se onde você mora tem internet. Talvez as linhas de transmissão congelem com o clima frio.

Por via das dúvidas, sem saber a velocidade das informações por aí, te escrevo mandando boas novas.

Seu ex-time, o Botafogo, está na Libertadores 17 anos depois, numa épica jornada de altos e baixos que misturou euforia, decepção, raiva, dúvida e lágrimas sem nem o time estar em campo.

A vaga veio domingo. Só pudemos confirmar hoje, na Argentina, quando o Lanus venceu a Ponte Preta e não mudou as vagas do G4.

Você tinha que ver, cara.  O grupo todo se emocionou com a saida do professor.  Pois é, ele foi pro Santos.  Mas ficou sendo o cara que levou o Bota pra Libertadores após 17 anos. Tá na história.

Aqui, no Rio, dois times cairam. Mas dois foram a Libertadores e equilibraram a honra da cidade.

Faz calor. Muito calor.

As pessoas estão euforicas e nem será fácil andar na rua amanhã sendo jogador do Bota. Da desconfiança os caras viraram heróis.

Coisas que o dinheiro nem sempre compra, sabe?

Eu vi um colega meu encher os olhos de lágrimas e dizer que há anos não sentia tanto orgulho de ser Botafogo. Fiquei feliz porque vou levar meu afilhado botafoguense numa Libertadores.

E acredite, foi tão merecido que eu diria que até rivais torceram a favor.

Que pena que você não viu, cara.

Espero que passe a Libertadores na tv por aí.

Ouvi dizer que não está nem sendo relacionado, é verdade?

Desanima não, cara.  A torcida já esqueceu você, nem te xingam mais.

Na verdade, mande notícias. Há meses que não ouvimos falar de você.

Por aqui, como disse, está tudo bem.

Boas férias!

Fonte: Blog do Rica Perrone