A enseada de Botafogo deve receber ainda neste verão um novo equipamento turístico que levará o visitante às alturas: uma roda gigante de 50 metros, que será instalada na Praia de Botafogo, Zona Sul. Como noticiou a coluna Gente Boa, do GLOBO, a roda custou R$ 7 milhões e vai ser batizada de Estrela do Rio, numa referência ao Clube Botafogo, que alugou o espaço para a montagem da parafernália. Inspirada na London Eye (roda gigante que é um dos ícones do turismo da capital inglesa), ela terá 16 cabines fechadas com ar condicionado, capacidade para 128 pessoas e fará um giro lento de oito minutos. Segundo o empresário Sávio Neves, um dos sócios do negócio, a ideia é que a roda panorâmica seja aberta antes do Carnaval e fique por ali até o final do Jogos Olímpicos de 2016. Não será a primeira roda gigante da cidade: em 2008 e 2009, o Forte de Copacabana também teve atração parecida.

Neves garante que faltam apenas alguns “detalhes burocráticos” para que o empreendimento seja liberado pela prefeitura e acredita que o passeio será uma das grandes atrações da região. O preço do ingresso deve custa entre R$ 20 e R$ 25.

— Ela vai ser um grande mirante e será instalada num terreno do Botafogo, onde fica o Parque Aquático, uma área degradada, com mendigos, usuários de crack. O local será revitalizado pela nossa empresa, junto com o clube Botafogo e vai virar um novo espaço, batizado de Mané Garrincha. — disse Sávio Neves, acrescentando que a passagem subterrânea situada em frente ao terreno também será restaurada e que a ciclovia da região terá o traçado modificado — As pessoas terão facilidade de acesso e não precisarão ir de carro, já que há uma estação de metrô próxima. E quem for de carro poderá estacionar na Praia de Botafogo e atravessar pela passagem. O acesso é ainda melhor que para o Cristo Redentor e o Pão de Açúcar — completou Sávio Neves, administrador do Trem do Corcovado, que nas últimas semanas enfrentou problemas de pane e superlotação no trenzinho.

A roda terá uma iluminação especial de LED, semelhante à usada em pontos turísticos como o Corcovado, e poderá ser acesa em cores variadas. Segundo Sávio Neves, o objetivo da empresa é que seja usada não apenas como um mirante da Baía de Guanabara, mas que ela se torne um local para realização de eventos como aniversários e casamentos. Não será a primeira roda gigante da cidade: em 2008 e 2009 um equipamento semelhante foi montado no Forte de Copacabana.

O empresário Norton Luiz Lenhart, um dos sócios de Sávio Neves na empresa que irá montar a roda, a Brasil 360 Graus, acredita que a versão carioca deve alcançar sucesso igual à inglesa.

— O principal atrativo nestes casos é a vista. E roda dará ao turistas uma visão privilegiada das belezas da cidade — explica.

O projeto ainda não foi oficialmente liberado pela prefeitura, mas o presidente do Instituto Rio do Patrimônio da Humanidade (IRPH),Washington Fajardo afirmou que não tem nada contra.

— Em princípio, não vejo problema algum. Mas o projeto ainda está em análise na prefeitura. Falta por exemplo consultar o Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural. A CET-Rio também terá que opinar. Mas eles propuseram uma alternativa para não gerar tráfego com o uso de passagens subterrâneas de pedestres em Botafogo. Existem elementos que sobrepostos a paisagem podem valorizá-la. Exemplos não faltam como a construção do Cristo Redentor no Corcovado e os bondes integrados a Santa Teresa — disse Fajardo.

A presidente da Associação de Moradores de Botafogo, Regina Chiaradia, que ainda não viu o projeto.

— Não fomos consultados. Só lamento que os empresários só pensem na Enseada de Botafogo como bem financeiro. Ninguém pensa em um dar uma contrapartida de recuperação ambiental — comentou.

Fonte: O Globo Online