Com o Maracanã fechado para o show do músico britânico Roger Waters, no dia 24 de outubro, o Fluminense teve de recorrer mais uma vez ao diálogo com o Botafogo.

E após acertar os ponteiros com o Alvinegro, o Tricolor definiu o Nilton Santos como palco das partidas diante do Atlético-MG, sábado pelo Brasileiro, e contra o Nacional, no mesmo dia do concerto no Maracanã, em duelo válido pela Sul-Americana. A CBF já foi notificada sobre a alteração de local.

A partir desta semana, as toneladas de equipamentos da turnê do roqueiro britânico já tomarão conta do estádio, o que fez com que o Flu tivesse de usar essa carta na manga. Por conta de obras no gramado, o time já usou a casa do Botafogo como palco do duelo contra o Grêmio.

Até o encontro com o Tricolor gaúcho, os tricolores deviam cerca de R$ 300 mil de aluguel ao Bota. Os alvinegros toparam abrir as portas mais uma vez, mas condicionaram a cortesia ao pagamento da dívida existente.

A tendência é que o Fluminense pague uma cota fixa de cerca de R$ 120 mil ao rival por cada um dos dois jogos que serão realizados no Nilton Santos nestas próximas datas.

Com esta mudança temporária de endereço, a diretoria terá ainda mais trabalho na missão de levar seu torcedor ao campo. Internamente, a cúpula ficou insatisfeita com a baixa presença de tricolores no Fla-Flu, ainda que a maioria rubro-negra fosse algo tratado como certo desde o início. O baixo comparecimento, no entanto, frustrou dirigentes e jogadores.

A expectativa é que a torcida lote o estádio ao menos contra os uruguaios. Caso passe pela equipe de Montevidéu, o Flu vai à semifinal da Sul-Americana.

Fonte: UOL