O sonho do bicampeonato sul-americano foi adiado. Diante de mais de 30 mil alvinegros no Estádio Nilton Santos, o Botafogo fez um bom primeiro tempo, venceu o Bahia por 2 a 1, devolvendo a derrota de Salvador, mas acabou eliminado nos pênaltis na noite desta quarta-feira. Saulo chegou a defender uma cobrança, mas Moisés acabou desperdiçando nas alternadas e o Tricolor Baiano se classificou para pegar o Atlético-PR nas quartas de final da Copa Sul-Americana.

Empurrado pela torcida e atrás no placar agregado, o Botafogo não tinha alternativa a não ser partir para cima do Bahia. Apesar de um certo nervosismo e precipitação, o Glorioso foi chegando. A primeira grande chance foi criada aos 16 minutos: Moisés cruzou da esquerda, Luiz Fernando ajeitou de cabeça, Rodrigo Lindoso dominou no peito dentro da pequena área e chutou em cima do goleiro Douglas.

Aos 25 minutos, em jogada quase idêntica, Rodrigo Lindoso teve de novo a chance de abrir o placar, mas escorregou na hora de finalizar. Aí, coube a Rodrigo Pimpão, o Senhor América, a tarefa de colocar o Botafogo na frente. Ele roubou a bola de Douglas Grolli na intermediária, botou na frente, Kieza, que estava impedido, saiu da jogada, e deixou o caminho livre para o agora maior artilheiro da história do clube em competições internacionais (ao lado de Sinval, com 8) tocar na saída do goleiro: 1 a 0.

A vitória por 1 a 0 classificava o Fogão, mas o Bahia conseguiu empatar aos 33 minutos, aproveitando um cochilo da defesa alvinegra. Vinicius descolou lançamento na área, Gilberto ajeitou de cabeça e Edigar Junio empatou. Mas o Botafogo não se abateu e voltou a ficar à frente ainda no primeiro tempo: Matheus Fernandes achou Luiz Fernando com um belo passe, o atacante passou pelo goleiro ainda fora da área e tocou para o gol vazio, fazendo 2 a 1.

O Bahia voltou mais organizado no segundo tempo, e o Botafogo encontrou dificuldades para criar jogadas, abusando dos chuveirinhos. O Tricolor por muito pouco não tornou a empatar aos 12 minutos: Vinicius enfiou na medida para Edigar Junio, que partiu em direção ao gol, mas acabou sendo bloqueado na hora H por Marcinho, que fez o bote certeiro.

A partida ficou tensa, mas a torcida alvinegra não parou de apoiar. À medida que o relógio andava, o nervosismo crescia. O técnico Zé Ricardo colocou o time para frente, com Renatinho e Aguirre, mas as jogadas de ataque viraram item raro. Aos 39 minutos, Rodrigo Pimpão e Rodrigo Lindoso obrigaram o goleiro Douglas a trabalhar numa sequência de chutes. Mas foi só isso. E o jogo foi para os pênaltis.

Na loteria dos pênaltis, melhor para o Bahia. Tendo a missão de substituir os ídolos Jefferson e Gatito Fernández, o goleiro Saulo chegou a defender uma cobrança, a terceira, do zagueiro Jackson. Mas Marcinho (trave) e Moisés (Douglas defendeu), já nas alternadas, desperdiçaram para o Botafogo, que saiu sem retribuir o carinho que sua torcida mais uma vez carregou.

PRÓXIMOS JOGOS

Eliminado da Copa Sul-Americana, o Botafogo terá agora somente o Campeonato Brasileiro, onde tem a missão de se afastar da zona de rebaixamento. O próximo compromisso será o clássico diante do Vasco da Gama, terça-feira, dia 9, às 21h, no Estádio Nilton Santos.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO (4) 2 X 1 (5) BAHIA

Estádio: Nilton Santos
Data-Hora: 03/10/2018 – 21h45
Árbitro: Germán Delfino (ARG)
Assistentes: Gustavo Rossi (ARG) e Ezequiel Brailovsky (ARG)
Renda e público: R$ 496.410,00 / 28.256 pagantes / 30.234 presentes
Cartões amarelos: Matheus Fernandes (BOT); Vinicius, Flávio e Nino Paraíba (BAH)
Cartões vermelhos:
Gols: Rodrigo Pimpão 26’/1ºT (1-0), Edigar Junio 33’/1ºT (1-1), Luiz Fernando 39’/1ºT (2-1)
Pênaltis: Rodrigo Lindoso, Aguirre, Kieza e Renatinho fizeram, Marcinho e Moisés perderam (BOT); Gilberto, Zé Rafael, Allione, Nilton e Flávio fizeram, Jackson perdeu (BAH)

BOTAFOGO: Saulo; Marcinho, Carli, Igor Rabello e Moisés; Rodrigo Lindoso, Gustavo Bochecha (Marcelo Benevenuto 37’/2ºT) e Matheus Fernandes (Renatinho 16’/2ºT); Rodrigo Pimpão, Luiz Fernando (Aguirre 31’/2ºT) e Kieza – Técnico: Zé Ricardo.

BAHIA: Douglas; Nino Paraíba, Tiago (Jackson 28’/1ºT), Douglas Grolli e Flávio; Nilton, Elton e Zé Rafael; Vinicius (Allione 26’/2ºT), Edigar Junio (Clayton 29’/2ºT) e Gilberto – Técnico: Enderson Moreira.

Fonte: Redação FogãoNET