A diretoria do Botafogo vai buscar a rescisão de contrato com o zagueiro Joel Carli. Segundo o clube, o salário do jogador não está dentro da atual realidade financeira, prejudicada ainda mais pela pandemia do novo coronavírus.

Atualmente, Carli não tem o nome registrado no Boletim informativo de Registro de Atletas (BIRA) da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ). Em 2018, após a disputa do Campeonato Carioca, ele renovou o contrato que iria até dezembro daquele ano para janeiro de 2021. Por ser estrangeiro, a legislação trabalhista brasileira só permite dois anos de contrato. O clube precisaria executar o termo aditivo até o fim deste ano para o atleta ter novamente condição de jogo.

Máscaras do FogãoNET para torcedores do FogãoNET durante a quarentena da pandemia do novo coronavírus (COVID-19)

No entanto, Carli bateu em 2019 a meta de disputar mais de 60% das partidas entre Campeonato Brasileiro e Copa Sul-Americana, que proporcionou a renovação automática até janeiro de 2022. A intenção do Botafogo é liberar o jogador, mas para isso precisa chegar a um denominador comum financeiro com o atleta.

O zagueiro argentino está no clube desde quando foi contratado no início de 2016. Durante muito tempo foi o capitão e conquistou o respeito da torcida. Carli fez o gol da vitória no tempo normal em cima do Vasco, aos 49 minutos do segundo tempo, no Maracanã, levando à decisão aos pênaltis, quando o Botafogo se sagrou campeão estadual em 2018. Formou boas duplas de zaga mesclando experiência e juventude ao lado de Igor Rabello e Gabriel. Ao todo, foram 156 jogos e seis gols marcados pelo Botafogo.

Fonte: Super Rádio Tupi