O Botafogo completou na última sexta-feira dois meses de salários atrasados para os jogadores, referentes a agosto e setembro. Sem previsão de novas receitas, o clube corre contra o tempo para evitar que os atrasos completem três meses, permitindo assim que os atletas buscassem na Justiça Trabalhista o rompimento dos contratos.

Para piorar a situação, o clube deixou de faturar US$ 450 mil (R$ 1,7 milhão) com a eliminação para o Bahia nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Esse valor poderia quitar metade da folha salarial de um mês, em torno de R$ 3,5 milhões. Além disso, o Botafogo não conseguiu vender ninguém na última janela internacional de transferêcia, como previa o orçamento ao ano.

O próximo pagamento do patrocínio da Caixa Econômica Federal será apenas em novembro. Até lá, o clube estuda operações para quitar os pagamentos. A diretoria tem jogado limpo com os jogadores e evitar estipular prazos. A diretoria chegou a pegar R$ 8 milhões emprestados no Banco Daycoval, mas o dinheiro já foi usado para pagar as prestações vencidas do Profut e poder tirar a Certidão Negativa de Débito (CND). Assim como a primeira parcela da “Caixa”, para cobrir os vencimentos de julho.

O Botafogo ainda tem a receber da Conembol a premiação de U$ 375 mil (1,4 milhão) por ter jogado as oitavas de final da Sul-Americana.

Fonte: Globoesporte.com