O presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, revelou nesta sexta-feira em entrevista ao programa “Olha o gol!”, da Rádio Globo, que o clube contratou uma empresa de auditoria e um escritório de advocacia para tentar reaver o prejuízo financeiro com o fechamento do Engenhão. O estádio foi interditado em março de 2013 para que fossem realizadas obras de reforço na estrutura, e a previsão inicial é de que as obras terminem em novembro próximo.

– Quem vai pagar esse prejuízo? Fizemos uma reunião com o jurídico e resolvemos que seria melhor a contratação de um escritório fora do Botaogo para ser bem defendido na esfera jurídica. Queremos saber de que forma vamos trazer esse prejuízo de volta. Uma atitude tomada foi contatar uma empresa que possa auditar os números de quanto perdemos de receita. Uma coisa é eu dizer, mas precisa de prova. Não foi um processo fácil, porque custou dinheiro. Até para pagar isso tivemos dificuldade. Hoje já temos praticamente tudo pronto, orientados pelo escritório de advocacia para não falarmos mais de como vamos prosseguir daqui em diante. Isso será levantado em breve e todos saberão qual é a atitude jurídica que o Botafogo vai tomar para buscar esse prejuízo – detalhou.

O presidente alvinegro acredita que o Botafogo só voltará a atuar em seu estádio em 2015.

– A data de novembro ainda é uma data com a qual trabalhamos porque foi a que foi passada pelo consórcio. Vocês estão vendo o maquinário e a quantidade de funcionários lá. Entendemos que esse ano talvez não cosigamos fazer um jogo lá. Enquanto isso, estamos discutindo um novo modo de operação do estádio. Uma das soluções é ter o cartão do estádio, com aquele cartão você faz todas as operações, desde a entrada aos bares, lojas oficiais, tudo para facilitar a vida do torcedor. Tenho certeza de que o novo presidente vai ter uma nova receita, que perdemos nesses dois últimos anos – disse Mauricio, que deixará o cargo no fim desse ano.

Fonte: Redação FogãoNET