Botafogo encara adversário extra: os desfalques por lesão no início de temporada

Compartilhe:

Menos de um mês do início da temporada, o Botafogo convive com problemas comuns ao desgaste de fim de ano. Apenas no terceiro jogo do time na Libertadores – o alvinegro tem jogado basicamente com reservas no Carioca -, o técnico Jair Ventura já teve perdas consideráveis para as partidas e pode ter outras no confronto de volta com o Olímpia, dia 22, no Paraguai. O meio-campo Montillo e o volante Bruno Silva, por exemplo, deixaram o campo machucados.

O argentino, inclusive, era dúvida para o primeiro jogo contra o Olímpia, e só foi confirmado no dia da partida. Em Santiago, ele havia sentido dores na coxa direita ao chutar a bola ainda no primeiro tempo do confronto de volta com o Colo Colo. No sacrifício, foi até o fim. Ele passou a semana em tratamento intensivo da lesão, cujo tempo de recuperação, em princípio, era de 10 dias, para entrar em campo na quarta-feira. Porém, nos primeiros 15 minutos de jogo, o camisa 7 sentiu dores na panturillha direita e deixou o campo.

Por causa do adiamento da última rodada do Brasileiro – devido à tragédia da Chapecoense -, o alvinegro teve menos tempo de pré-temporada. O elenco só se reapresentou no dia 11 de janeiro, e teve três semanas de preparação até a estreia na fase preliminar da Libertadores contra o Colo-Colo, dia 1º.

– Estou muito triste por perder dois jogadores. A lesão do Montillo foi outra, não é a que ele tinha sentido. É difícil a Pré-Libertadores por isso, pelo tempo de preparação. Fizemos dois dias de preparação para esse jogo. Fizemos uma “semifinal” e a “final”. Parece que é desculpa, mas vai ser o nosso maior dificultador para chegar na fase de grupos – disse o treinador após a vitória, que deu ao Botafogo a vantagem de jogar pelo empate, em Assunção.

Já Bruno Silva desfalcou o time durante todo o segundo tempo, após sentir dores musculares e não voltar do vestiário. O caso do volante preocupa menos, pois o tempo de recuperação é mais rápido. Caso parecido com o de Airton, que machucou o cotovelo no primeiro jogo da competição, na vitória por 2 a 1 sobre o Colo-Colo, em casa. Autor de um dos gols, ele se recuperou para a partida de volta.

DEFESA TAMBÉM ACUMULA PROBLEMAS

O técnico sabe que a classificação para a fase de grupos acontecerá apenas com o esforço de todo o grupo. Num ano que começou sem o goleiro Jefferson, parado desde o segundo semestre de 2016 por causa de lesão no ombro, e a perda de Sidão para o São Paulo, Gatito Fernandez foi a aposta do alvinegro. Na quarta-feira, porém, o gol ficou nas mãos de Helton Leite. O titular já havia desfalcado o time no clássico com o Flamengo por causa de dores musculares, mas não se recuperou a tempo.

Jair Ventura, ao menos, teve a sorte de não perder sua dupla de criação de uma vez. No jogo da volta contra o Colo Colo, Camilo foi desfalque de última hora. O camisa 10 havia sentido dores no adutor da coxa direita, no entanto, sem lesão detectada. Ainda assim, ele viajou para o Chile, mas foi vetado.

Titular absoluto, o zagueiro Carli sequer estreou este ano. O argentino sofreu uma contratura na panturrilha direita durante a pré-temporada e iniciou a fase de transição para o campo apenas na semana passada. O desfalque abriu espaço para o jovem Marcelo, que tem dado conta do recado.

Fonte: O Globo Online

Comentários