O departamento jurídico do Botafogo prestou hoje os esclarecimentos, na 27ª vara do Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro, sobre o caso Willian Arão. O jogador tinha entrado com uma ação na justiça pedindo nulidade da cláusula de renovação contratual automática para se desvincular do Botafogo. O clube explicou que o acordo que foi assinado pelo próprio atleta e desconsidera isso legal. Ainda não houve nenhuma definição, o caso está nas mãos da juíza. Agora ela vai definir se autoriza a tutela de causa ao jogador ou ao Botafogo.

Vale lembrar, que a renovação foi por dois anos. Willian Arão assinou um pré-contrato onde o Botafogo tinha que pagar R$ 400 mil para efetuar renovação automática, reajustando os salários e a multa rescisória para R$ 20 milhões. Caso o clube perca a ação, o jurídico vai entrar na CBF com um pedido que a entidade não faça nenhum registro de contrato com o atleta.

Fonte: Site da Rádio Tupi