A queda precoce do Botafogo na Libertadores resultou no segundo fracasso da equipe na temporada – antes já havia feito a pior campanha da história no Campeonato Carioca. E o fraco desempenho nas duas competições disputadas até o momento deixaram o técnico Eduardo Hungaro na berlinda.

Aposta da diretoria e do presidente Maurício Assumpção , Eduardo Hungaro encontrou forte rejeição da torcida, que preferia um nome mais experiente a frente do Botafogo em sua volta a Libertadores após 18 anos. Os dirigentes até tentaram um medalhão, mas esbarrou nos altos valores pedidos por Tite e Cristóvão Borges, por exemplo.

O início na Libertadores até foi animador, principalmente nos jogos no Maracanã. Em casa a equipe mostrava força e assim se classificou para a fase de grupos ao golear o Deportivo Quito-EQU. San Lorenzo-ARG e Independente José Terán-EQU também foram vítimas, mas o Botafogo falhou quando não podia. Perdeu para o Unión Española-CHI e desperdiçou a oportunidade de garantir vaga nas oitavas antecipadamente.

A decisão ficou para a partida da última quarta-feira, na Argentina. Nova decepção. Derrota por 3 a 0 para o San Lorenzo e queda na fase de grupos da Libertadores. Eduardo Hungaro se viu em situação delicada e ainda não sabe se continuará a frente do Botafogo até o restante da temporada, de acordo com seu contrato.

“Isso é uma pergunta que deve ser feita à direção do Botafogo. Fui contratado para trabalhar em 2014. O resultado mais uma vez não foi bom. Em função de tudo que preparamos, queríamos passar de fase. Mas se vou continuar ou não é uma pergunta que deve ser feita ao clube”, disse Hungaro.

O treinador estava visivelmente abatido com a classificação e a fraca atuação do Botafogo na Argentina. Demonstrando abatimento, ele comentou a derrota para o San Lorenzo e fez duras críticas aos jogadores, dizendo que o desempenho ruim veio a partir de uma deficiência técnica. Hungaro, no entanto, fez meia culpa e admitiu que o time estava também taticamente abaixo do adversário.

“Não vejo problema de concentração por conta de problemas extracampo. Vi problemas técnicos e táticos. Os jogadores mostraram interesse e poder de concentração. Estavam motivados. A diferença entre as equipes foi técnica e tática. San Lorenzo se impôs e conseguiu o resultado”, afirmou.

Fora da Libertadores e do Campeonato Carioca, o Botafogo ficará sem jogar até dia 20 de abril, quando fará sua estreia no Brasileiro, diante do São Paulo, no Morumbi. Para esse jogo, o Alvinegro terá o reforço de Zeballos e, muito provavelmente, de Emerson Sheik, que deve chegar ainda essa semana.

Fonte: UOL