Em um jogo de poucas emoções no Independência, o América-MG foi mais preciso que o Botafogo e venceu o rival por 1 a 0, com gol de Juninho, que concluiu com o bico do pé para marcar. O jogo foi amarrado e as equipes não conseguiram criar chances claras de parte a parte.

O resultado, porém, fez justiça ao time que foi melhor na soma dos dois tempos, já que foi o Coelho quem mais buscou a vitória ao longo dos 90 minutos. Com o resultado, o América-MG pulou para a quinta posição do Brasileiro. Já o Botafogo caiu para a nona colocação.

Na próxima rodada, o América recebe a visita do São Paulo, domingo, às 19h. No mesmo dia, o Botafogo joga em casa diante do Vitória, às 16h.

O melhor: Luiz Fernando se destaca

Em uma partida de pouco brilho técnico, Luiz Fernando foi quem mais destoou. Com alguns bons passes e boa movimentação, o alvinegro fez a grande jogada individual da partida, mas os visitantes não conseguiram concluir em gol.

O pior: sozinho, Brenner não participa

A opção de Alberto Valentim por povoar mais o meio e tirar um homem de ataque sacrificou Brenner, que ficou isolado enquanto esteve em campo. Com um Botafogo muito pouco inspirado, apenas uma boa jogada foi criada para o centroavante, que concluiu em cima de João Ricardo. Ele foi substituído por Kieza aos 19 minutos do segundo tempo.

Faltou inspiração

Não faltou transpiração de parte a parte, mas inspiração foi artigo raro na primeira etapa no Independência. Com Brenner muito isolado na frente, o Botafogo não conseguiu furar o bloqueio americano mesmo com a escalação de um homem a mais no setor de meio. O time rodou a bola, trocou passes, mas foi incapaz de criar, exceção feita a uma bela jogada de Luiz Fernando que terminou com defesa importante de João Ricardo e um novo chute bloqueado pela zaga.

O América, por sua vez, conseguiu ser mais efetivo que seu rival, especialmente em jogadas pelo lado direito, setor pelo qual Norberto e Serginho levaram vantagem sobre Gilson. Apesar da superioridade, faltou ao América mais poder de fogo, já que o Coelho não conseguiu fazer Jefferson trabalhar. Foram algumas finalizações fora do alvo e nenhuma intervenção importante do camisa 1 alvinegro.
Biquinho salvador

O primeiro tempo começou como terminou o primeiro: o América tentando explorar os espaços pelo lado esquerdo do Botafogo, e os alvinegros apostando em bolas mais longas para Luiz Fernando.

Em uma rara boa jogada pelo lado oposto, os donos da casa quase abriram o placar com Judivan, mas Rabello se recuperou a tempo e atrapalhou a finalização do jogador, que deu lugar a Rafael Moura logo após a jogada.

Sem força ofensiva, Alberto Valentim mexeu por atacado: de uma tacada só, colocou Kieza e Aguirre no time. As mexidas levaram mais “peso” para dentro da área do América, mas chances claras não foram criadas, embora o time tenha nitidamente crescido de produção. O América teve uma visível queda física, mas faltou ao adversário mais força para vencer o jogo. Quando parecia que o zero não sairia do placar, Rafael Moura virou em cima de Igor Rabello, serviu Juninho, que bateu “de biquinho” no cantinho de Jefferson. O Bota tentou empatar na base dos cruzamentos para a área, mas a estratégia não deu certo.

Que é isso, companheiro?

Aos 28 minutos do primeiro tempo, Luiz Fernando se irritou com Brenner e “encarou” o próprio companheiro de time. O juiz Rodolpho Toski Marques não teve dúvida e puniu o camisa 7 com um cartão amarelo.

Unidos

Os torcedores de América-MG e Botafogo confraternizaram antes de a bola rolar. Juntos, americanos e botafoguenses curtiram o pré-jogo nos arredores do Independência. O Coelho registrou o momento em suas redes sociais.

Dono de lojas especializadas em coxinhas, o youtuber Felipe Neto divulgou uma novidade por meio de seu Twitter. Como a rede é uma das patrocinadoras do Botafogo, o salgado será vendido pela metade do preço sempre que o Alvinegro ganhar um jogo. A promoção será válida nos dias seguintes aos triunfos da equipe. Não foi dessa vez.

AMÉRICA-MG 1 x 0 BOTAFOGO
Data: 20/05/2018 (sábado)
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Victor Hugo Imazu dos Santos (PR)
Gols: Juninho, aos 32 minutos do segundo tempo
Cartões amarelos: Luiz Fernando, Carli, Bochecha (BOT); Juninho, Norberto (AME)

AMÉRICA
João Ricardo, Norberto, Matheus Ferraz, Messias e Giovanni; Leandro Donizete, Zé Ricardo (Juninho), Aderlan e Serginho (Ruy); Luan e Judivan (Rafael Moura)
Técnico: Enderson Moreira

BOTAFOGO
Jefferson; Marcinho, Carli, Igor Rabello e Gilson (Moisés); Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Gustavo Bochecha e Renatinho (Aguirre); Luiz Fernando e Brenner (Kieza).
Técnico: Alberto Valentim

Fonte: UOL