O Botafogo ainda não esqueceu o vídeo do Porta dos Fundos, que brincou com o excesso de patrocínios do clube. O clube irá processar o portal e cobrará R$ 10 milhões, o que ocorrerá no fim de agosto. A decisão do Flamengo de ter Antonio Tabet, um dos donos da empresa além do site “Kibe Loco”, como vice de comunicação caiu como uma bomba no Alvinegro.

Isso porque o Flamengo alegou ao Botafogo que não sabia do teor do vídeo, gravado no campo da Gávea com o novo uniforme do time, que sequer havia sido lançado. Após o rival anunciar Tabet, o Alvinegro alimentou ainda mais a teoria de que o Rubro-negro sabia sim o que estava sendo feito. Como não há como provar a teoria, a diretoria de General Severiano não irá envolver o clube da Gávea. Já um dos donos do Porta dos Fundos…

“É tudo muito estranho. Corrobora ainda mais a má fé do Porta dos Fundos com o uso indevido da marca do Botafogo. Fica claro que o agora cartola do Flamengo sabia muito bem o que estava fazendo. Não vamos passar a mão na cabeça, entraremos com processo agora no fim de agosto. Flamengo e Adidas fizeram um manifesto dizendo não saber de nada o que seria gravado no campo da Gávea. Como não podemos provar, temos que confiar na palavra. Mas vamos ver se a Porta dos Fundos conseguirá pagar a multa sozinho”, disse o vice jurídico do Botafogo, Domingos Fleury ao UOL Esporte.

“Comprova ainda mais que estamos certos. O Flamengo diz que não sabe de nada, mas achamos tudo muito estranho. Ainda mais agora, que o clube convidou um dos fundadores e cabeça do Porta dos Fundos. Não compactuamos com esse tipo de brincadeira e tudo será resolvido na Justiça. O fato dele estar participando da diretoria do Flamengo será utilizado na nossa defesa”, completou o cartola do Botafogo.

Em participação no programa “Bate Bola”, da ESPN, o novo cartola do Flamengo explicou que a polêmica com o Botafogo não foi intencional. Apenas uma brincadeira com o excesso de patrocinadores que o Alvinegro ostentou durante o Carioca. Ele, porém, deixou claro que não sabia da intenção do clube de General Severiano de levar o processo milionário à frente após a retirada do vídeo.

“A crítica feita ao Botafogo era no excesso de patrocinadores na camisa. O roteiro nem é meu. Tem ator botafoguense que participa da esquete. Das instituições que a Porta dos Fundo quer atacar, gosta de atacar e faz isso com maestria, o Botafogo não faz parte dela. Não existe nenhuma animosidade com o Botafogo. Por conta de um pedido do clube, que achamos justo, tiramos o vídeo do ar. Não rolou processo, foi simples assim”, finalizou.

Fonte: BOL