O Vitória conquistou a edição de 2015 da Copa do Brasil sub-17. Atuando no estádio Nilton Santos, o popular Engenhão, a formação de Salvador superou o Botafogo por 3 a 1, no tempo normal. O resultado, o mesmo aplicado pela Estrela Solitária na partida de ida, encaminhou a disputa para as penalidades máximas, onde o Rubro-Negro saiu novamente superior, impondo o marcador de 4 a 3.

O Leão da Barra, eficiente, abriu 2 a 0 no marcador, com gols de Farinha e Yan. Luís Henrique, artilheiro da competição, com 14 gols registrados, descontou para os cariocas, que levantariam o título mesmo com o placar adverso. Porém, convertendo pênalti, Eron superou Diego e encaminhou a decisão para as penalidades máximas.

Nas cobranças de pênalti, os nordestinos foram novamente superiores, triunfando por 4 a 3. Os visitantes foram às redes com Yan, Eron, Giovane e Cedric – apenas Gabriel desperdiçou. Os donos da casa anotaram com Luís Henrique, Lucas César e Jordan. Coube a John defender a cobrança de Zyan para decretar o título leonino.

A trajetória botafoguense até a decisão discorreu de maneira curiosa: os cariocas não foram superados nos compromissos fora do Rio de Janeiro. Todavia, não conseguiram ganhar um jogo sequer como mandantes.

O jogo – Sob o olhar de Carlos Amadeu, técnico da Seleção Brasileira sub-17, Botafogo e Vitória protagonizaram uma partida eletrizante no Engenhão, que recebeu bom público. Precisando do resultado, o Rubro-Negro abriu o placar aos 39 minutos do primeiro tempo. Ruan Potó escapou da marcação pela ponta esquerda, invadiu a área e cruzou na medida para Farinha cabecear firme, no contrapé de Diego.

Logo no segundo minuto do período complementar, a representação de Salvador marcou o gol que encaminharia o compromisso para os pênaltis. Ion perdeu a bola e deu origem ao contragolpe visitante. Sem perdoar a falha, Yan ficou cara a cara com Diego e superou o arqueiro alvinegro com uma conclusão calma e precisa.

Porém, quando o relógio apontou a marca dos oito, a Estrela Solitária deixou tudo igual: Ezequiel, atento, roubou a bola no setor ofensivo, invadiu a área e cruzou na medida para Luís Henrique, artilheiro do torneio, finalizar de primeira, sem dar chances ao adversário. Os nordestinos, valentes, levaram a decisão às penalidades aos 42 minutos. Eron sofreu pênalti infantil de Mateus Fernandes e converteu a cobrança com êxito, deslocando Diego com um chute rasteiro, no canto esquerdo do oponente.

Mantendo a incrível média de três gols por partida disputada fora de casa, o Vitória demonstrou eficiência nas penalidades máximas e triunfou por 4 a 3, com gols de Yan, Eron, Giovane e Cedric – somente Gabriel perdeu. O Botafogo, que anotou com Luís Henrique, Lucas César e Jordan, viu Rickson e Zyan desperdiçarem.

Fonte: Gazeta Esportiva