Botafogo leva prejuízo de R$ 41 mil na Arena Pernambuco

Compartilhe:

Com a alegação de que não havia um local ideal para enfrentar o Fluminense, já que o Engenhão, interditado, e o Maracanã, ainda fechado depois da Copa das Confederações, o Botafogo levou o clássico para a Arena Pernambuco. À espera de receita, viu o público pequena e a renda ainda menor. No borderô divulgado nesta segunda-feira pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o clube saiu do jogo devendo R$ 41.465,24 para um público total de apenas 9.669 pessoas.

O jogo na Arena Pernambuco só foi oficializado no dia 27 de junho pela CBF. O Botafogo vivia a expectativa de utilizar o Maracanã para o clássico e, por isso, a negociação para fechar o local do clássico se arrastou. O acordo previa a divisão da renda com o Fluminense, a não ser em caso de prejuízo.

– Ficamos no zero a zero, mas quando não se ganha dinheiro no futebol, fica o prejuízo. Tivemos pouco tempo para organizar o jogo em uma outra praça, mas apesar disso foi bom. O estádio é ótimo, fizemos algumas ações com sócios-torcedores, estabelecemos novos contatos, o governador de Pernambuco compareceu – explicou o diretor executivo do Botafogo, Sérgio Landau.

Segundo o borderô, o Botafogo pagou R$ 270 mil pelo aluguel da Arena Pernambuco, enquanto a renda total foi de R$ 368.550,00. A Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro ficou com R$ 36.855,00 e a Pernambucana recebeu R$ 18.427,50. Além das despesas da viagem, já que o jogo, na teoria, seria realizado no Rio de Janeiro, o que deixa a CBF sem a obrigação de bancar passagens e hospedagens.

Para se ter uma ideia da situação vivida pelo Botafogo, o Náutico também atuou na Arena Pernambuco no dia anterior ao clássico com o Fluminense. O estádio recebeu 20.413 pessoas para ver a derrota por 3 a 1 para a Ponte Preta. Isento do pagamento do aluguel e com uma despesa de R$ 70.235,31, o clube saiu com uma renda líquida de R$ 423.866,69, segundo o borderô também divulgado pela CBF.

A diretoria do clube vem negociando outros jogos fora do Rio de Janeiro. Brasília está próximo de um acordo para receber cinco jogos, pelo menos. A cidade tem a aprovação dos jogadores, o que foi revelado por Seedorf em entrevista na sexta-feira. Lá, o Botafogo acredita em uma arrecadação com bom lucro.

– Acho que é uma situação diferente. Estamos fazendo uma negociação mais longa com o Mané Garrincha. Acredito que com um público médio de 25 mil pessoas conseguimos uma arrecadação boa – comentou Landau.

Além da negociação com Brasília, o Botafogo ainda segue conversando com o Consórcio Maracanã. No entanto, ainda não há um acordo selado nem previsão de primeiro jogo do clube no estádio. O próximo confronto do time como mandante é contra o Náutico, dia 20, ainda sem local definido.



Fonte: Globoesporte.com
Comentários