BOTAFOGO LUTA ATÉ O FIM, MAS FICA COM O VICECAMPEONATO CARIOCA

Compartilhe:

Diego Giaretta disputa jogada no alto com Rodrigo (FOTO: Vitor Silva/SSPress)

Diego Giaretta disputa jogada no alto com Rodrigo (FOTO: Vitor Silva/SSPress)

O segundo lugar nunca é suficiente para um clube do tamanho do Botafogo. Porém, desta vez, o Glorioso superou desconfianças e adversidades, foi campeão da Taça Guanabara, chegou à final do Campeonato Estadual e lutou até o último minuto contra o Vasco. A derrota por 2 a 1, neste domingo, no Maracanã, deu o título ao rival, mas o time alvinegro saiu fortalecido. A temporada de resgate está apenas começando. O clube precisa da torcida para se reerguer e retornar à elite do futebol brasileiro.

Quarta-feira, o Botafogo enfrenta o Capivariano, no Estádio Nilton Santos, pela Copa do Brasil. Sábado, o time estreia no Campeonato Brasileiro da Série B, contra o Paysandu, em Belém.

O JOGO

Nas arquibancadas, com mais de 66 mil pessosas, as torcidas faziam uma bela festa, com destaque para o mosaico dos botafoguenses no Setor Norte. Em campo, René Simões escalou o time com uma surpresa: Luis Ricardo no meio.

A mudança surpreendeu o Vasco no início e fez o Botafogo começar melhor. Logo no primeiro minuto, quase Luis Ricardo teve chance de concluir na área. Pouco depois, recebeu bom cruzamento de Bill e bateu para fora.

Na oportunidade mais clara, Luis Ricardo fez excelente passe em profundidade, Bill finalizou, mas Martin Silva saiu bem e abafou, aos 4.

Aos poucos, o Vasco equilibrou o jogo e passou a assustar em cruzamentos na área. Aos 17, em jogada ensaiada, quase Luan conseguiu concluir na área. Aos 25, Renan sai aos pés de Christiano e evitou gol.

O jogo ficou truncado, faltoso e com muitos cartões. O Botafogo perdeu Willian Arão, coincidentemente por uma pancada acidental nas costas em choque com Renan. Entrou Fernandes.

Em um fim de primeiro tempo equilibrado, o time teve chances com Pimpão (chute de fora da área defendido por Martin Silva) e Tomas (falta cobrada na barreira). Porém, já aos 46, foi o Vasco que abriu o placar. Gilberto roubou bola de Marcelo Mattos, Guiñazu tocou por cima e Rafael Silva bateu firme de esquerda para marcar.

Na etapa final, René colocou Diego Jardel na vaga de Tomas. O Botafogo precisava de dois gols e se lançou ao ataque. Teve oportunidades: Luis Ricardo na área para; Thiago Carleto falta na barreira; Renan Fonseca e Marcelo Mattos cabeçadas para fora após escanteios. Aos 19, foi Rodrigo Pimpão quem fez Martin Silva trabalhar.

Já com Sassá em campo, o Botafogo não desistia, o que fazia sobrar espaços atrás. Em um contra-ataque, Gilberto bateu firme e Renan espalmou para escanteio. A ousadia alvinegra deu resultado. Aos 29, Gilberto fez boa jogada e achou Diego Jardel, livre na área, para deslocar o goleiro e empatar. Botafogo 1 x 1 Vasco!

Contudo, o Vasco jogou de forma inteligente e passou a cozinhar o jogo, gastando o tempo. No esforço do Botafogo, Fernandes acabou expulso por levar o segundo cartão amarelo. Com um a menos, faltou força para buscar o título e ainda deu tempo para o rival marcar no fim, com Gilberto. Ainda assim, o Glorioso sai fortalecido do Campeonato Carioca para brigar para voltar à elite do futebol brasileiro.

BOTAFOGO 1 X 2 VASCO

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data e hora: 3 de maio, às 16h (horário de Brasília)
Árbitro: Wagner do Nascimento Magalhães
Auxiliares: Rodrigo Figueiredo Henrique e Dibert Pedrosa Moisés
Público e renda: 58.446 (pagantes), 66.156 (presentes) e R$: 3.286.580,00
Gols: Rafael Silva, aos 44min do primeiro tempo, para o Vasco; Diego Jardel, aos 29min do segundo tempo, para o Botafogo, e Gilberto, aos 48min do segundo tempo, para o Vasco
Cartões amarelos: Serginho, Christiano, Dagoberto, Rodrigo e Julio dos Santos (Vasco) e Willian Arão, Diego Giaretta, Fernandes, Renan Fonseca e Marcelo Mattos (Botafogo)
Cartão vermelho: Fernandes (Botafogo)

Botafogo
Renan, Gilberto, Renan Fonseca, Diego Giaretta e Thiago Carleto; Marcelo Mattos, Willian Arão (Fernandes), Tomas (Diego Jardel) e Luiz Ricardo (Sassá); Rodrigo Pimpão e Bill
Técnico: René Simões

Vasco
Martín Silva, Madson, Luan, Rodrigo e Christiano; Guiñazu, Serginho, Julio dos Santos e Dagoberto (Bernardo); Rafael Silva (Marcinho) e Gilberto
Técnico: Doriva



Fonte: Site oficial do Botafogo (texto) e UOL (ficha)
Comentários