Botafogo apresenta notícia-crime no MP-RJ e pede apuração de mortos inscritos na chapa de Walmer Machado

25 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Walmer Machado - Candidato a presidente do Botafogo | Eleição 2020
Divulgação

No dia em que ocorre a eleição, o Botafogo apresentou nesta terça-feira uma notícia-crime ao Ministério Público do Rio pedindo que se apurem possíveis irregulares na Chapa Verde, encabeçada por Walmer Machado e Carlos Alberto Lancetta. A informação é do “GE”.

No documento, o Botafogo pede que seja investigada a autoria da inclusão de assinaturas de pessoas mortas na composição inicial da chapa. Foram encontrados registros de seis pessoas já falecidas entre as assinaturas dos sócios da chapa de Walmer.

A denúncia partiu do presidente do Conselho Deliberativo, Edson Alves, e foi repassada ao departamento jurídico do clube. Na visão deles, por mais que a junta eleitoral tenha considerado que não houve qualquer irregularidade na composição da chapa, a inscrição de mortos com supostas assinaturas dos mesmos “ultrapassou o limite do aceitável ética e moralmente falando”.

“Todas as informações trazidas com a presente apontam para uma suposta produção e uso de documento integralmente falso, consistente em Termos de Declaração “subscritos” em nome de pessoas falecidas, não-sócias do Botafogo de Futebol e Regatas e sócios com menos três anos de associação ao clube, o que caracteriza, em tese, os delitos insculpidos nos arts. 298 (falsificação de documentos) e 304 (uso de documentos falsos), do Código Penal”, diz um trecho da denúncia.

Vale ressaltar que a notícia-crime que o Botafogo apresentou ao Ministério Público não terá poder de retirar a Chapa Verde da disputa, pois o MP não conseguiria analisar o caso a tempo. Uma resolução deve ser tomada somente no ano que vem. Edson Alves, presidente do CD, faz parte da chapa Mais Botafogo, encabeçada por Alessandro Leite, mas ele nega que a denúncia tenha cunho eleitoreiro.

– Da minha parte fiz o que a junta solicitou. Só um detalhe. Quando encaminhei ao jurídico, ficou a cargo deles decidir o que fazer. Nem sabia que seria encaminhado ao MP. Outro detalhe: eu me declarei impedido de presidir a junta eleitoral justamente para que não se misturasse as bolas, dizerem que estaria influenciando politicamente na eleição – disse Edson.

Walmer Machado se defende

Em entrevista ao “GE”, Walmer Machado rebateu as acusações e negou que haja irregularidades.

– A minha chapa está regularmente feita, com todos os sócios ativos e regulares. Inclusive com certidões do Botafogo Futebol e Regatas. Agora, se tem alguma coisa, quem tem a administração e a máquina administrativa são eles. Eles que eu digo é o pessoal da gestão, da situação. Não sei o que está acontecendo em meio à pandemia, se algo chegou não é do meu conhecimento. Agora, o ônus da prova cabe a quem acusa. Sendo certo que se eu for notificado versaremos com denunciação caluniosa contra todos os membros que entendermos que estão por trás dessa manobra – afirmou Walmer, atacando o “Mais Botafogo”:

– O momento político tem tudo a ver porque o grupo Mais Botafogo é inexpressivo politicamente falando. Afundou o Botafogo e agora visa retaliar. Saibam que é um direito que eles têm. Se eu for noticiado, notificado, de alguma coisa, tomar conhecimento dessa notícia oficialmente, vamos fazer o mesmo. Vamos promover denunciação caluniosa contra eles. Vamos ver se eles tem autoria. Eles podem ter um documento material, alguma prova. Mas se não tiver autoria e meu nome estiver citado, eles irão responder por denunciação caluniosa.

*Atualizado às 16h13

Fonte: Redação FogãoNET e GE

Notícias relacionadas