O Botafogo foi notificado nesta terça-feira por credores que cobram pagamento de dívida com parte da verba do patrocínio de 2015. O crédito foi criado pelo ex-presidente Maurício Assumpção, que pediu empréstimos a um grupo de pessoas físicas e deu como garantia o próximo acordo de patrocínio, no caso a Guaraviton, que renovou por R$ 9 milhões, mas sem exclusividade.

O presidente do Botafogo, Carlos Eduardo Pereira, está indignado com a situação e promete passar um pente fino na operação realizada pelo ex-mandatário.

“Recebemos uma notificação de credores que se acham no direito de ter parte do nosso patrocínio de 2015. É um processo que vamos levantar e verificar desde o início. Ver se entrou esse dinheiro, como foi feita a operação. Se os poderes do clube foram ouvidos, se o antigo presidente tinha poderes para realizar esse empréstimo e dar o patrocínio futuro como garantia, o que é um absurdo”, disse o dirigente ao UOL Esporte.

“Se depender da gente, vamos fazer o possível para apurar isso. Ver rigorosamente a origem desses créditos. Botafogo não tem dinheiro nem para sobreviver adequadamente nessa temporada, imagina ter que pagar esses credores neste momento. É muita falta de sensibilidade apresentarem essa conta agora. As pessoas que emprestaram dinheiro, investiram numa situação que já conhecia. Vamos passar um pente fino em todas as operações feitas pelo Mauricio”, completou.

O Botafogo voltou ao Ato Trabalhista e pagará duas parcelas restantes para aderir o Refis, após quitar dívida com a Timemania. Entretanto, o novo problema do clube não tem nenhuma ligação com essa questão. Como o empréstimo foi feito por pessoas físicas, o Alvinegro poderá sim perder parte do patrocínio.

“Essa questão não tem nada a ver com dívidas trabalhistas ou fiscais. São credores, pessoas físicas, para quais o antigo presidente realizava algumas operações. Não tinha mais crédito na praça e buscou dinheiro com algumas pessoas. É mais um problema que teremos que encontrar uma solução graças aos erros sucessivos da última gestão”, finalizou.

Fonte: UOL