Após quase dois anos, o Botafogo, enfim, voltou ao Engenhão para uma partida oficial. E da melhor maneira possível. O time alvinegro aproveitou o fator casa, goleou o Bonsucesso por 4 a 0 neste sábado, pela terceira rodada do Campeonato Carioca, e manteve a invencibilidade na competição. Diego Jardel, Bill, Thiago Carleto e Fernandes marcaram os gols do triunfo que marcou o retorno da equipe ao estádio que ainda se encontra parcialmente fechado – anel superior interditado – para obras em sua cobertura.

Com o resultado positivo, o time de General Severiano chegou aos sete pontos e assumiu provisoriamente a liderança do Estadual. Já o Bonsucesso amargou sua terceira derrota e segue sem pontuar no Carioca. Os dois times voltam a campo na próxima quarta-feira, às 17h: o suburbano encara o Barra Mansa em Edson Passos, enquanto o Botafogo enfrenta o Bangu, no estádio Los Larios, em Xerém.

Fases do jogo: Apesar do longo tempo fora de casa, o Botafogo não esqueceu como é ser mandante de um jogo. Principalmente diante de uma equipe de menor tradição. Sem tomar conhecimento, o time alvinegro partiu para cima do Bonsucesso e precisou de apenas dez minutos para marcar o primeiro gol: Rodrigo Pimpão deu belo lançamento para Diego Jardel, que chutou duas vezes para fazer 1 a 0 no placar.

O time suburbano até ensaiava uma reação com algumas chegadas tímidas chegadas ao ataque, mas o Botafogo era superior. E também não demorou a marcar o segundo. Pimpão chegou pela ponta direita e cruzou para Willian Arão; o volante teve o chute travado pela zaga e, na volta, tocou para Bill fazer 2 a 0.

O gol não desanimou o time visitante. O Bonsucesso chegou a pressionar e só não diminuiu o prejuízo no placar por conta de ótimas intervenções do goleiro Jefferson. O Botafogo ainda chegou a colocar uma bola no travessão, mas o placar não se alterou até o intervalo.

Na volta para o segundo tempo, os donos da casa não relaxaram. E, assim, como na primeira etapa, logo chegaram ao gol. Aos 3 minutos, Thiago Carleto cobrou falta com perfeição, no canto do goleiro Preto, e ampliou a vantagem botafoguense no placar.

E o panorama do jogo não se alterava, mesmo com o resultado já decidido. Pressionando o frágil time do Bonsucesso, o Alvinegro fez 4 a 0 com Fernandes aos 26 minutos. O jovem volante, que entrou na vaga de Willian Arão, chutou recebeu na entrada da área e chutou duas vezes para dar números finais à boa vitória do Botafogo.

Melhor: Rodrigo Pimpão – mesmo sem marcar gols, foi fundamental na vitória do Botafogo. Se movimentou bastante, criou as principais chances do time e participou dos lances dos dois gols

Pior: Renan – o zagueiro do Bonsucesso jogou pouco e reclamou muito. Chamou atenção pelos gestos em todas as marcações do árbitro e por não conseguir parar as jogadas de ataque do botafogo

Chave do jogo: Começo arrasador. O Botafogo não tomou conhecimento do Bonsucesso, fez dois gols em 21 minutos e encaminhou a vitória no retorno ao Engenhão

Para lembrar: O último jogo oficial disputado no Engenhão havia sido Flamengo 0 x 0 Boavista, em 23 de março de 2013. A última partida do Botafogo no estádio ocorreu em 16 de março do mesmo ano, na vitória por 4 a 0 sobre o Quissamã

No último dia 24, o Botafogo atuou no Engenhão. Mas sem torcida. O time foi derrotado por 1 a 0 no amistoso contra o Shandong Luneng, da China

Na comemoração de seu gol, Thiago Carleto apontou para o número 6 em suas costas, numa homanagem ao ídolo botafoguense Nilton Santos. O clube, aliás, passou a chamar o estádio pelo nome do ex-jogador do clube e da seleção brasileira. Alguns torcedores já trocavam “Engenhão” por “Niltão”

BOTAFOGO 4 x 0 BONSUCESSO

Local: Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 7 de fevereiro de 2014, neste sábado
Árbitro: Carlos Eduardo Nunes Braga
Assistentes: Andréa Izaura Marcelino e Patrícia Retondario da Silva
Público: 9.562 pagantes / 11.147 presentes
Renda: R$ 319.720,00
Cartões amarelos: Diego Jardel, Matheus Salgado, Lucas Fernandes e Fernando
Gols: Diego Jardel, aos 10, e Bill, aos 21 minutos do primeiro tempo; Thiago Carleto, aos 3, e Fernandes, aos 26 minutos do segundo tempo

Botafogo
Jefferson; Gilberto, Roger Carvalho, Renan Fonseca e Thiago Carleto; Marcelo Mattos, Willian Arão (Fernandes), Tomas (Gegê) e Diego Jardel; Rodrigo Pimpão e Bill (Sassá)
Técnico: René Simões

Bonsucesso
Preto; Ryan, Jadson, Renan e Cristiano; Marquinhos (Clodoaldo), Júnior, Fernando e Matheus Salgado (João Cleriston); Miguel e Lucas Fernandes (Robertinho)
Técnico: Caio Couto

Fonte: UOL