O Botafogo tenta, desde o fim do ano passado, convencer a empresária Leila Pereira a se tornar patrocinadora do clube. Nos últimos dias, inclusive, circularam notícias de que a FAM (Faculdade das Américas) estaria disposta a estampar sua marca na camisa botafoguense e ainda ajudaria com os salários de Guerra e Borja, do Palmeiras.

Mas, de acordo com apuração do Blog, não existe qualquer chance de alguma das empresas de Leila fechar com o Botafogo ou com outro clube brasileiro. “Não estou negociando com nenhum clube. Meus investimentos são todos no Palmeiras”, assegurou a empresária.

Antes do Botafogo, vários outros clubes chegaram a procurar a Crefisa e a FAM para sugerir parcerias. O Vasco foi um dos interessados. Mas, assim como no caso botafoguense, não houve sequer abertura de negociações.

Leila Pereira está cada vez mais envolvida com o Palmeiras, onde se tornou conselheira e tem pretensões políticas. Ela deve se lançar candidata à presidência alviverde na próxima eleição, em 2021, com o apoio de Maurício Galiotte, atual mandatário.

Na parte das finanças, a relação entre Leila e Palmeiras é forte. De acordo com o balanço referente a 2018, a dívida do clube com as empresas da patrocinadora era de R$ 142,7 milhões em 31 de dezembro.

Fonte: Blog do Jorge Nicola - Yahoo! Esportes