Botafogo tenta reabertura parcial do Engenhão para abril, mas Prefeitura contesta

Compartilhe:

Previsto para ser reaberto em novembro de 2014, o estádio Engenhão virou tema de uma divergência entre Botafogo e a Prefeitura do Rio de Janeiro. O time alvinegro diz que negocia uma reinauguração parcial do aparato para abril ou maio, mas o poder público municipal contesta essa versão.

Construído para os Jogos Pan-Americanos de 2007, o Engenhão foi inaugurado em junho daquele ano e tem capacidade para 46 mil espectadores. O equipamento foi interditado pela prefeitura do Rio de Janeiro em março de 2012 por causa de problemas estruturais.

O cronograma oficial da reforma foi divulgado em julho pela prefeitura e pelo consórcio Engenhão, formado pelas construtoras OAS e Odebrecht. Responsáveis pela construção, as empresas assumiram também a correção dos defeitos encontrados na cobertura.

Segundo o cronograma, a previsão é que o Engenhão seja reinaugurado em novembro. O prazo não pode ser postergado por causa de eventos teste dos Jogos Olímpicos de 2016 – o estádio será uma das estruturas usadas pelo evento.

“Nós não estamos afobados, mas estamos conversando com a prefeitura e tentando antecipar esse prazo para abril ou maio. Estamos tentando uma reabertura parcial, apenas com os setores norte e oeste”, disse Sérgio Landau, diretor-executivo do Botafogo.

O time alvinegro assinou contrato para administrar o Engenhão por 20 anos, com opção de renovação para mais duas décadas. No período em que o aparato está fechado, os custos de manutenção têm sido bancados pela prefeitura.

No entanto, o período de interdição do equipamento já causou problemas para o Botafogo. A Ambev, que patrocinava o Engenhão, manifestou interesse de rescindir o contrato.

“Nós temos uma boa situação para jogar no Maracanã enquanto o Engenhão estiver fechado. Não temos pressa, mas estamos conversando sobre essa antecipação”, afirmou Landau.

A prefeitura do Rio de Janeiro, porém, contesta a versão do Botafogo. Procurado pelo UOL Esporte, o poder público municipal negou que tenha qualquer conversa em andamento para antecipar a abertura do estádio.

“O Maracanã vai ser cedido para a Copa do Mundo. A verdade é que vai faltar estádio no Rio de Janeiro”, ponderou o diretor-executivo do Botafogo.

Fonte: UOL

Comentários