As dificuldades financeiras com as quais o futebol carioca convive ficaram novamente evidenciadas em um estudo pulgado pela BDO Consultoria. Segundo o levantamento, que analisa os balanços de 24 clubes em 2014, Botafogo, Flamengo e Vasco ficaram nas primeiras posições entre os mais enpidados.

O Botafogo assumiu a liderança no ingrato ranking e leva ampla vantagem. Segundo o levantamento, o clube terminou o ano de 2014 devendo R$ 845,5 milhões.

Sua dívida foi aumentada em 21% em relação a 2013. Somente em um ano, o Alvinegro obteve outras dívidas equivalentes a R$ 146,7 mi.

Embora ainda esteja nas primeiras colocações, o Flamengo teve uma mudança para lá de considerável. Ao terminar 2014 devendo R$ 697,9 milhões, o clube saiu da liderança ingrata e teve uma redução de 8% em suas dívidas (quitando R$ 59,5 milhões em um ano).

A dívida do Vasco voltou a aumentar no ano de 2014. O Cruz-Maltino encerrou o ano com R$ 596,5 milhões a serem pagos, uma variação de 4% (R$ 24 mi a mais)

O Atlético-MG também teve um aumento considerável em suas dívidas no ano de 2014, e acabou na quarta colocação. O Galo fechou o ano com R$ 486,6 milhões a serem pagos, uma variação de 11% em relação a 2013 (adquirindo mais R$ 48,2 mi em dívidas).

O Fluminense seguiu o compasso com o Vasco e viu sua dívida se estender em 4%, chegando em quinto lugar. O Tricolor das Laranjeiras terminou seu balanço de 2014 com R$ 439,6 milhões em dívidas – R$ 16,9 mi a mais.

A dificuldade do Grêmio em lidar com as dívidas ficou ainda maior após o ano de 2014, terminando em sexto lugar. O clube terminou o ano devendo R$ 382,1 milhões, um aumento de 36% – equivalente a R$ 100,8 mi a mais.

O Santos também terminou o ano de 2014 ainda mais enpidado, mas na sétima colocação. Com R$ 373,2 milhões a pagar, o clube viu uma variação de 26% – R$ 76,5 milhões a mais.

O aumento também foi visto nas contas do São Paulo, que terminou o ano de 2014 em oitavo lugar. O Tricolor paulista fechou o ano com R$ 340,9 milhões em dívidas, uma variação de 36% – outros R$ 90,3 mi a acrescentar em seu montante.

O Palmeiras também tornou-se ainda mais devedor ao final de 2014. Em nono lugar, o clube teve dívidas avaliadas em R$ 332,7 milhões. A variação foi a menor entre os clubes paulistas: 7% (um aumento de R$ 20,9 milhões).

Mesmo na décima colocação, o Corinthians terminou o ano de 2014 como o clube com maior aumento em dívida entre os que estão no Top-10. O clube, que assumiu a décima liderança, fechou em R$ 332,7 milhões – variação de 62%, e um aumento de R$ 119,8 mi.

O levantamento ainda apontou alguns dados curiosos. O Sport terminou o ano de 2014 com maior variação em seu balanço financeiro entre os 24 clubes: 220%, saltando a dívida para R$ 55,3 milhões (R$ 38 mi a mais).

Em seguida, vieram Criciúma, Joinville e Atlético-PR. Além do Flamengo, o outro clube que reduziu suas dívidas foi o Goiás, que terminou o ano em R$ 80,2 milhões (uma variação de 17%, por gastar R$ 16,1 mi a menos).

CONFIRA OS 24 CLUBES MAIS ENDIVIDADO EM 2014*:

1 – Botafogo – R$ 845,5 milhões (aumento de 21%)

2 – Flamengo – 697,9 milhões (redução de 8%)

3 – Vasco – 596,5 milhões (aumento de 4%)

4 – Atlético-MG – R$ 486,6 milhões (aumento de 11%)

​5 – Fluminense – R$ 439,6 milhões (aumento de 4%)

6 – Grêmio – R$ 382,1 milhões (aumento de 36%)

7 – Santos – R$ 373,2 milhões (aumento de 26%)

8 – São Paulo – R$ 340,9 milhões (aumento de 36%)

9 – Palmeiras – R$ 332,7 milhões (aumento de 7%)

10 – Corinthians – R$ 313,5 milhões (aumento de 62%)

11 – Internacional – R$ 280,4 milhões (aumento de 22%)

12 – Cruzeiro – R$ 252,9 milhões (aumento de 27%)

13 – Atlético-PR – R$ 233,4 milhões (aumento de 97%)

14 – Bahia – R$ 216 milhões (aumento de 29%)

15 – Coritiba – R$ 214,3 milhões (aumento de 27%)

16 – Ponte Preta – R$ 146,5 milhões (aumento de 4%)

17 – Náutico – R$ 132,1 milhões (aumento de 60%)

18 – Goiás – R$ 80,2 milhões (redução de 17%)

19 – Figueirense – R$ 65,3 milhões (aumento de 15%)

20 – Sport – R$ 55,3 milhões (aumento de 220%)

21 – Avaí – R$ 50,7 milhões (aumento de 1%)

22 – Vitória – R$ 26,1 milhões (aumento de 17%)

23 – Criciúma – R$ 16,6 milhões (aumento de 136%)

24 – Joinville – R$ 13,2 milhões (aumento de 23%)

* Fonte: BDO Consultoria

Fonte: Extra Online