A despedida do Botafogo de 2018 será com time misto, mas também com a motivação de fechar o ano em alta. Neste sábado, às 19 horas, o time carioca se despede da temporada e do Campeonato Brasileiro diante do Atlético-MG, no estádio Independência, em Belo Horizonte, e tentará surpreender o adversário, que luta por uma vaga na próxima edição da Copa Libertadores, ampliando a sua invencibilidade na competição, hoje em seis jogos.

Com 51 pontos, o Botafogo ocupa o nono lugar no Brasileirão e pode subir uma posição na tabela de classificação, ultrapassando o Cruzeiro, dependendo de uma combinação de resultados. Mas o mais importante já está definido: o time voltará a disputar a Copa Sul-Americana em 2019. Pode parecer pouco, mas a equipe conseguiu uma arrancada que o afastou da briga contra o rebaixamento e termina o ano em alta.

Até por isso, o técnico Zé Ricardo optou por antecipar as férias de Luis Ricardo, Dudu Cearense, Renatinho, Brenner, Erik e do chileno Leo Valencia, que não aparecem no Engenhão desde a última quinta-feira. Com exceção do meia do Chile, todos estão em fim de contrato e não devem permanecer no Botafogo em 2019.

E o time também não vai contar com Rodrigo Lindoso, em recuperação de dores, no duelo contra o Atlético-MG, assim como Joel Carli, Gilson, Aguirre, Jean, João Pedro, Rickson e Marcelo, todos eles no departamento médico.

Com tantos problemas, o Botafogo terá várias mudanças, o que inclui a escalação de uma dupla de ataque formada pelos “velhos conhecidos” Rodrigo Pimpão e Kieza, artilheiro da equipe na temporada, ao lado de Brenner, com dez gols marcados.

Além disso, o paraguaio Gatito Fernández retoma a titularidade da meta botafoguense após Jefferson se despedir do futebol na vitória por 2 a 1 sobre o Paraná, na última segunda-feira. E Matheus Fernandes e Marcos Vinícius ganham chance no meio de campo do Botafogo.

Fonte: Estadão