Usamos cookies para anúncios e para melhorar sua experiência. Ao continuar no site você concorda com a Política de Privacidade.

Botafogo vê Willian Arão ‘ganhando tempo’, mas tem previsão para receber R$ 4 milhões mais juros

0 comentários

Por FogãoNET

Compartilhe

Willian Arão em Botafogo x Bahia | Série B do Campeonato Brasileiro 2015
Vítor Silva/SSPress/Botafogo

Willian Arão ainda não pagou o que deve ao Botafogo. Em 16 de outubro de 2019, o clube venceu disputa judicial contra o volante do Flamengo, na qual ficou definido um valor de R$ 4 milhões como indenização por reparação de perdas e danos. Entretanto, o processo ainda está com o poder judiciário.

É o que explicou o vice-presidente jurídico do Botafogo, Domingos Fleury, ao “Canal do TF”. O dirigente afirmou que Willian Arão está “ganhando tempo”.

– Após o Tribunal Superior do Trabalho determinar que Willian Arão indenize o Botafogo em R$ 4 milhões com juros e correções monetárias incididos em novembro de 2015, quando saiu do Botafogo para o Flamengo, os advogados do Willian Arão interpuseram recurso para o próprio TST que se chama embargos de declaração. É como se, no entender deles, algum ponto da decisão ficou obscura ou omissa, para que o Tribunal se pronuncie sobre essas supostas questões. Mas na verdade não houve nada obscuro ou omisso. O Tribunal foi bem claro, a decisão foi obtida por maioria, 2 a 1 a favor do Botafogo, com amplo debate entre os ministros. Esse recurso interposto pelo Willian Arão foi só para ganhar tempo, impedir que a decisão transitasse em julgado, se tornasse definitiva, e o processo voltasse ao TRT do RJ para execução. Ou seja, para intimação ao Willian Arão para pagamento em 15 dias, sob pena de multa de 10%. Para evitar que acontecesse de imediato, interpuseram esses embargos de declaração – explicou Domingos Fleury.

Bandana da Costa do Marfim e Faixa Konichiwa da Estilo Piti

Expectativa de pagamento em breve

O novo coronavírus desacelerou o processo, porém o dirigente em uma previsão de quando o Botafogo receberá o valor devido por Willian Arão.

– Veio o fechamento dos tribunais por força da pandemia do coronavírus, todas as atividades ficaram paralisadas, impediram o julgamento regular do recurso. Acredito que com o retorno gradual das atividades há uma possibilidade de em agosto os tribunais superiores voltarem a funcionar normalmente. Nossa expectativa é que os embargos sejam julgados em setembro, para o processo finalmente retornar ao Rio de Janeiro para que o Willian Arão seja intimado a pagar os R$ 4 milhões corrigidos e com juros, desde novembro de 2015 até hoje, sob pena de incidência de multa de 10%. Nossa expectativa é que no mês de setembro esse recurso será julgado e voltará ao Rio – finalizou Fleury.

Veja o vídeo do Canal do TF com Domingos Fleury explicando a questão:

Fonte: Redação FogãoNET e Canal do TF

Notícias relacionadas
Comentários