Suspenso pela Fifa por 4 anos por ter se recusado a fazer exame antidoping em 2014, quando defendia o Al-Ittihad, da Arábia Saudita, Jobson está sumido. O atacante marcou de comparecer ao hotel onde o Botafogo se concentrou neste domingo pela manhã, mas deu bolo e não foi ao local. O técnico René Simões enviou duas mensagens para o jogador, mas não obteve resposta.

Pelo menos foi o que revelou René Simões ao ser perguntado se Jobson esteve no Maracanã para acompanhar os companheiros nessa primeira partida da final do Carioca. O treinador disse que não sabe do paradeiro do atacante, liberado dos dois últimos treinos após o anúncio da suspensão.

“Não sei [onde está Jobson]. Passei duas mensagens e não tivemos respostas até agora. Ele ficou de ir ao hotel e não foi. Está com uma dificuldade grande e isso é perfeitamente normal. Vamos continuar atentos a ele”, disse René Simões.

Após a derrota, o treinador revelou que Jobson seria titular ao lado de Rodrigo Pimpão no jogo deste domingo, caso não estivesse punido. O atacante, inclusive, chegou a treinar entre os titulares na atividade de quinta-feira, véspera do anúncio da Fifa, impedindo a utilização do atacante.

“Ele jogaria. Seria Pimpão e Jobson. Fez um treino muito bom. Tanto que passei para o time titular, o que não vinha fazendo. Estava muito bem no treino. Talvez um dos melhores dele pelo clube. Foi para o time titular e continuou bem. Nunca vamos saber como teria sido se ele estivesse em campo”, completou.

Os advogados de Jobson entrarão com um recurso na Fifa nesta segunda-feira, tentando um efeito suspensivo. Caso isso ocorra, o atacante estará à disposição do técnico René Simões para o segundo jogo da final, no próximo domingo. O Botafogo terá que vencer por dois gols de diferença para ser campeão. Caso o triunfo seja por apenas um gol, a taça será decidida nos pênaltis. O Vasco, por sua vez, pode até empatar para papar mais um estadual.

Fonte: UOL