O capitão do tri, Carlos Alberto Torres, não vai mais ajudar a diretoria do Botafogo. Ele chegou a participar de algumas decisões do presidente Carlos Eduardo Pereira neste inicio de mandato, mas revelou que não tem mais o interesse de permanecer por estar sendo pouco procurado para ajudar. Ele estava trabalhando como Ministro dos Esportes do Glorioso, mas preferiu não dar sequência ao trabalho. O capita tinha como principal objetivo levar a marca do Botafogo para o exterior e também ajudar na montagem do elenco. Em entrevista exclusiva à Super Rádio Tupi, Carlos Alberto Torres, explicou o motivo desta sua saída e afirmou que não era mais procurado para tomar algumas decisões sobre o futuro do clube.

“Infelizmente eu não vou continuar colaborando com o Botafogo como eu vinha fazendo. Eu vinha ajudando na campanha, mas agora as coisas tomaram outros rumos e eu senti que não era mais requisitado para ajudar e decidi sair. Quando eu senti que a minha presença não era mais requisitada, eu mesmo decidi me afastar. O Botafogo já tomou um rumo e como a minha presença não é mais necessária, decidi me afastar. Mas de qualquer maneira a hora que precisar estou à disposição” – disse.O capita ainda revelou que uma reunião aconteceu nesta segunda-feira e que ele sequer foi convidado para participar.

“Eu não tinha contrato e não tinha compromisso oficial com o Botafogo. Eu comuniquei ao vice de futebol Mantuano e eu senti que eles não precisavam mais da minha ajuda. Eu preciso cuidar da minha vida também. Teve uma reunião nesta segunda-feira e eu nem fui convidado, por isso, eu senti que não tinha mais importância para ajudar o Botafogo” – finalizou.

Vale lembrar que Carlos Alberto Torres apoiou desde inicio o Carlos Eduardo Pereira, que era o candidato da oposição.

Fonte: Site da Rádio Tupi