Caso de Sheik e Edilson é semelhante ao que tirou pontos do Brasília no STJD

Compartilhe:

A súmula do jogo entre Flamengo e Botafogo traz um susto aos torcedores do Botafogo nesta terça. O árbitro Wilton Pereira de Sampaio, juiz da partida, relata que a súmula eletrônica apontava, antes da partida, que dois atletas do time, Emerson Sheik e Edílson, estariam impedidos de jogar por uma suspensão do STJD. O fato foi informado ao clube alvinegro, que insistiu, dando uma declaração escrita à mão, estar ciente do informe do juiz e mesmo assim entrou com o atletas na derrota por 1 a 0 para o rival. Se estivessem suspensos de fato, o Botafogo poderia perder 3 pontos no Brasileirão, agravando ainda mais a crise vivida em General Severiano.

Em contato com o ESPN.com.br, a diretoria do clube, no entanto, se mostra tranquila e diz que, provavelmente, o fato ocorreu devido a um erro no sistema eletrônico da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) que mostra quem está apto ou não para cada partida.

Sheik e Edílson foram condenados a uma partida de suspensão por conta de uma confusão no fim do jogo contra o Grêmio, ainda antes da Copa do Mundo. O julgamento foi no dia 16 de julho, dia da partida do time contra o Sport, em Recife. Como, segundo a legislação desportivas, as condenações só valem a partir do dia seguinte ao julgamento, os jogadores foram liberados para a partida em Pernambuco.

Três dias depois, contra o Coritiba, em Volta Redonda, ambos cumpriram suspensão. Segundo a assessoria do clube, que não sabe os motivos do ocorrido, o cumprimento da suspensão não foi registrado no BID eletrônico da CBF e o juiz da partida estava informado que ambos não poderiam atuar contra o Flamengo.

Em contato com o ESPN.com.br, a Diretoria de Competições da CBF confirmou que o sistema eletrônico usado pela entidade não registrou que os jogadores já haviam cumprido suspensão. Assim, o Botafogo não correria riscos de perder pontos.

O caso é semelhante ao “tapetão” que tirou do Brasília o título da Copa Verde e deu ao Paysandu, já que o time do Distrito Federal, por erro da CBF, teria jogado a decisão do torneio com quatro atletas irregulares.

Confira o que o árbitro relata na súmula:

“Na imputação dos nomes dos atletas na súmula eletrônica antes do início da partida, constou que dois atletas do Botafogo (número 7 e 33) estariam impedidos de jogar por uma pendência no STJD. Deixamos o Botafogo FR ciente, mas o diretor do Botafogo, Sr. Adriano Polares, assumiu a responsabilidade e fez uma declaração de próprio punho conforme em anexo na súmula”.

Fonte: ESPN.com.br

Comentários