CEP cita gosto pela noite de Sassá, mas não fecha portas do clube para o atacante

Compartilhe:

A diretoria do Botafogo não descarta ainda renovar o contrato do atacante Sassá, envolvido numa polêmica sobre sua renovação e afastado do elenco após não cumprir o cronograma estabelecido na comissão técnica. Em entrevista nesta sexta-feira, o presidente do Botafogo não fechou as portas para o atacante.

– Não diria isso (fechar as portas), a direção do Botafogo não se furta a dialogar com nenhum atleta, especialmente com um jogador que foi feito no clube – disse Carlos Eduardo Pereira à Rádio Brasil, revelando que o empresário não cumpriu o combinado com ele:

– Compremeti de reinscrevê-lo na Libertadores, o sonho dele era jogar a Libertadores, e havia o compromisso do empresário de renovar o contrato. Para nossa surpresa, a proposta era de R$ 5 milhões de luvas mais uma quantia salarial que o tornaria praticamente o maior salário do grupo. É muito difícil conseguir sair desse cenário imposto pelos empresários.

Carlos Eduardo Pereira também comparou a situação de Sassá com a do zagueiro Emerson Santos: ambos ainda não renovaram. E voltou a criticar a postura dos empresários.

– O Botafogo já tem tentado renovar os contratos do Sassá e do Emerson Santos desde o ano passado, e não conseguimos avançar adequadamente pelos pedidos difíceis de serem atendidos por parte dos empresários, jogando com o tempo a seu favor. Quando tem orçamento restrito, com o tempo contra, fica complicado dar grandes passos – disse, para completar:

– Tem que fazer uma distinção entre o comportamento pessoal do Emerson, que não causa nenhum problema, que tem uma vida regrada, jogando, com o do Sassá, que é um jovem, mas que gosta da noite, não foi feliz em publicações de redes sociais, e com isso acaba refletindo no comportamento e no desempenho, fica um distanciamento do jogador com um grupo tão unido como o Botafogo tem, com todos cumprindo seus horários, as determinações do Jair.

Fonte: Redação FogãoNET e Rádio Brasil

Comentários