Após a cerimônia de lançamento dos novos uniformes do Botafogo, o presidente Carlos Eduardo Pereira falou também sobre a renovação do atacante Sassá. CEP foi muito crítico à forma como o lado do jogador vem conduzindo a negociação.

– Nós não esperávamos esse tipo de pedida, que foge a qualquer padrão razoável de mercado. Um milhão e meio de euros de luvas é uma coisa vinda de quem não quer renovar com você e coloca um valor que é inatingível, irreal e fora do mercado. Não há qualquer justificativa para isso, eu fiquei muito decepcionado.

Mesmo assim, o presidente reafirmou sua vontade de renovar o contrato do atacante, que já pode assinar um pré-contrato no meio do ano e sair em dezembro sem que o clube receba pagamento algum.

– Sassá tem contrato até 31 de dezembro e isso vai valer a não ser que alguém faça uma oferta irrecusável, mas o Botafogo quer renovar com ele, mas dentro da realidade. Eu já manifestei isso diversas vezes. Nós fizemos uma proposta muito consistente para ele, estamos inteiramente abertos e queremos que o Sassá continue.

O dirigente também criticou a Lei Pelé, afirmando que a legislação “transforma os empresários na figura mais importante da relação, quando o clube e o jogador deveriam ser mais”.

Fonte: Extra Online