A demissão do treinador de goleiros Flávio Tênius, que trabalhava desde 2010 com Jefferson, foi a forma que a diretoria do Botafogo encontrou para fustigar o ídolo, que liderou, juntamente com Bolívar, a greve contra o atraso de salários. O zagueiro foi dispensado pelos dirigentes, mas acabou reconduzido ao elenco por pressão dos companheiros. Flávio acabou demitido sob a alegação de que não estava conseguindo controlar Jefferson.

Fonte: Coluna Panorama Esportivo - O Globo