O Botafogo não precisou jogar com o regulamento debaixo do braço — como diz um batido clichê do futebol — para despachar o Fluminense e garantir vaga na final da Taça Rio. Com uma excelente atuação do atacante Sassá, os alvinegros foram sempre superiores, apesar dos erros do árbitro, e mereceram a vitória.

“Fico feliz mais uma vez por ajudar o Botafogo. Estou concentrado e procurando evoluir a cada dia, a cabeça também está melhor. E agora é só esperar pelo ombro. Está doendo um pouco, mas nada que impeça a gente de voltar a trabalhar da melhor forma possível”, afirmou o atacante, que deixou o campo reclamando de muitas dores no ombro direito e será reavaliado nesta segunda-feira para saber se vai viajar na terça-feira para a Colômbia. Na quinta-feira o Botafogo enfrenta o Atlético Nacional, pela Libertadores.

Outras preocupações são o meia Montillo e o volante Airton, que se machucaram no último treino e ainda preocupam a comissão técnica.

Feliz pela atuação consistente no clássico, o técnico Jair Ventura garantiu que a equipe aprendeu com os erros do último jogo contra o Fluminense, quando sofreu uma virada, após terminar o primeiro tempo com dois gols de vantagem.

“Conseguimos vencer um jogo similar. Aprendemos com os nossos erros e ainda fizemos mais um gol e tivemos uma bola na trave. Fico feliz por ter ganho um clássico e por disputar a minha primeira final como profissional”, analisou o comandante.

Sobre o incidente com o meia Camilo, que abandonou o treino de sexta-feira passada e disputou o clássico, ele garante que é página virada.

“O Camilo é importantíssimo para nossa equipe. Ele foi fundamental no ano passado e este ano, mesmo não fazendo assistências, corre muito, luta e se entrega. Torço para ele voltar a fazer os gols e as assistências”, afirmou.

Fonte: O Dia Online