Após denúncias anônimas, que foi confirmada pelo SINDICLUBES ( Sindicato dos Empregados dos clubes do Rio de Janeiro), que o diretor do casarão de General Severiano, Jorge Freitas, disse que não poderia pagar os trabalhadores e que estes estariam liberados para realizar outros trabalhos e, que abonaria as faltas dos mesmo, já que o pagamento não sai desde novembro e a prioridade do clube é a quitação com jogadores do Futebol, o presidente do clube se mostrou extremamente irritado com o ocorrido. O Botafogo deve os salários de novembro, dezembro e o 13° aos empregados.

O clube já conseguiu voltar ao Ato Trabalhista, mas ainda não teve as verbas liberadas pelas Varas do Trabalho do Rio de Janeiro, pois o dinheiro ainda está retido e, o SINDICLUBES não pode mais liberar a verba como fez algumas vezes, desde o ano passado, por causa da volta do alvinegro ao Ato. O presidente Carlos Eduardo Pereira afirmou que esse posicionamento não condiz com a postura oficial do clube.

“Só posso desqualificar esse tipo de comentário. Isso não reflete uma posição oficial do Botafogo. Entendo que exista uma insatisfação em função do clube ainda não ter conseguido liberar suas receitas e cotas. Esse tipo de boato não vai ajudar a ninguém. O clube tem recursos que foram objetos de uma ação pelo próprio SINDICLUBES pelo pagamento de salário de novembro e da primeira parcela do 13º. Infelizmente ainda estamos aguardando o juiz de trabalho assinar o alvará de liberação desses recursos.”

O dirigente pediu paciência aos funcionários, já que a diretoria está esperando que os recursos sejam desbloqueados e trabalhando bastante para conseguir normalizar as atividades do clube.

“Só posso considerar isso um boato, até uma atitude que atinge o Botafogo quase pelas costas, em um momento que já está tão fragilizado. Realmente a diretoria tem feito um esforço muito grande para retornar as atividades normais, infelizmente ainda não conseguimos que todas as varas aceitassem o Ato Trabalhista, por isso os recursos ainda permanecem bloqueados, fruto de uma má gestão realizada no período anterior. As pessoas terão que ter paciência, a gente não pode fazer nada de diferente do que já estamos realizando. Se o Botafogo estivesse fazendo algo fora da sua rotina, contratando grandes jogadores, gastando dinheiro em algo diferente, eu até admitiria que houvesse alguma crítica, mas pelo contrário, não acontece nada disso, montamos um time dentro do orçamento bastante apertado, a crítica dessa maneira, todos têm o direito de reclamar, mas dentro de um jogo aberto e honesto.”

Além do dinheiro preso nas Varas do Trabalho, o Botafogo aguarda também a liberação de verba mensal de três milhões de reais, relacionada a cota de televisão de 2015.

Fonte: Site da Rádio Tupi