Manoel Renha, diretor-geral da base do Botafogo, é o primeiro dirigente a confirmar de forma oficial a venda do volante Matheus Fernandes para o Palmeiras – os valores noticiados foram de € 3,5 milhões (R$ 15,5 milhões). Renha explicou à Rádio Brasil por que o clube optou por negociar a joia com o Palmeiras e não com o Genoa.

– Matheus já vinha sendo monitorado pelo mercado internacional, tanto que teve proposta do Genoa, mas o Botafogo optou, por questões de modelo, de manter uma participação. A proposta do Palmeiras foi mais interessante nesse momento. É claro que, se pudesse, o interessante era mantê-lo por um tempo maior, mas não é a nossa realidade hoje, faz parte do processo ter que negociar jogadores, o que vários outros clubes brasileiros fazem também. Precisamos de alguns anos para tentar reverter isso – disse Renha.

O dirigente ressaltou que a realidade do Botafogo hoje é formar jogadores e negociá-los para manter o clube de pé financeiramente.

– Isso tudo passa pela situação do Botafogo. Já falo isso há alguns anos: vamos ter que ficar formando jogadores e vendendo para o mercado, para a médio prazo o Botafogo passar a ser um clube comprador, o que não é a nossa realidade hoje. Nossa realidade hoje é formar jogadores e vamos ter que vendê-los para tentar equacionar de forma mais rápida a situação financeira do clube, que é bem complicada – completou.

Fonte: Redação FogãoNET e Rádio Brasil