As eleições do Botafogo esquentam mais a cada dia. Durcésio Mello foi o nome escolhido por alvinegros influentes para captar o máximo de simpatizantes e minar a oposição. O idealista da situação é o ex-presidente Carlos Augusto Montenegro, que vê no empresário uma boa possibilidade de sucesso.

Durcésio é dono de duas empresas no ramo de aeronaves e que funcionam no interior de São Paulo. O trabalho ocupa grande parte do seu tempo, mas o empresário se diz pronto para atender um chamado caso sua candidatura de fato se oficialize. Até os dias atuais, ele pouco participou da vida política do Botafogo. E esse é justamente um dos motivos que o torna uma forte opção, já que não tem rejeição de outros grupos.

Além de Carlos Augusto Montenegro, outros personagens influentes na política do clube estão por trás. Cláudio Good e Manoel Renha, que viriam em uma chapa própria, mudaram de ideia e apoiam o empresário. Mauro Ney Palmeiro, entre outros, também apoiam Durcésio Mello. Até mesmo o atual presidente do Botafogo, Maurício Assumpção, se mostrou à favor.  O problema é que esses nomes não representam uma reformulação na política do clube, que vê as mesmas pessoas se revezarem no poder há décadas.

Em situação financeira delicada, o Botafogo atual é refém de investidores que torcem pelo clube e ajudam quando necessário. O grupo tem tido participação decisiva nas últimas eleições e já sinalizou positivamente para o nome de Durcésio Mello. A informação não foi confirmada pelo possível próximo presidente, mas a injeção financeira poderá chegar aos R$ 200 milhões no mandato de três anos – 2015 a 2017.

“Única coisa que me foi passado é que esse grupo de investidores está disposto a pelo menos manter o investimento feito no Botafogo. Eu até já fui um desses investidores no passado, assim como existem outros. Mas não me foi passado nenhum valor nesse sentido. É algo muito prematuro até porque essa opção de me tornar candidato surgiu há dez dias. É algo muito precoce ainda”, disse Durcésio Mello ao UOL Esporte.

Um almoço na última semana foi organizado por Montenegro para apresentar Durcésio Mello a pessoas influentes na política do clube. Inicialmente, cerca de 15 pessoas eram esperadas, mas o número foi bem maior. Aproximadamente 50 pessoas compareceram ao restaurante no Jockey Clube e escutaram o empresário falar.

“Teve muita gente influente no almoço. Montegro, Renha, Mauro Ney… Hoje pode parecer estar encaminhado a candidatura, mas na semana que vem isso tudo pode mudar. Tem muita gente até mais gabaritada do que eu para o cargo. O próprio Renha pode querer, tem o Carlos Eduardo [do grupo “Mais Botafogo”]… Enfim. Não tem estrelismo. Quero o bem do Botafogo. Se eu for o nome de consenso, vou fazer meu melhor para ajudar. Se não for eu, darei meu apoio naturalmente a outra pessoa”, afirmou.

Mas Durcésio está longe de ser unanimidade. Ao menos dois grupos políticos já confirmaram que participarão do pleito em novembro com chapas próprias. O primeiro foi “Carlito Rocha”, que já anunciou Vinícius Assumpção como candidato. O “Botafogo acima de tudo”, que terá Antônio Carlos Mantuano à frente, também já confirmou presença.

Além dos dois, o “Grande Salto”, liderado pelo ex-diretor de marketing Marcelo Guimarães, deverá concorrer às eleições, apesar de não ter um nome escolhido como candidato até o momento.

Fonte: UOL