Longe do Rio e sem muito entusiasmo por parte de suas torcidas, Flamengo e Botafogo decidem hoje, às 16h30, em Volta Redonda, quem será o adversário do Boavista na final da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca. Por ter melhor campanha na competição, o time rubro-negro joga pelo empate. Já o Botafogo precisa vencer para seguir na briga pela taça e para tentar afastar a crise que ronda o clube.

Eliminado da Copa do Brasil pela Aparecidense, o alvinegro passa por momento conturbado. A torcida está na bronca com a equipe e o novato técnico Felipe Conceição corre o risco de ser demitido. No último treino antes do clássico, o presidente do clube, Nelson Mufarrej, cobrou os atletas – e também declarou estar ao lado do elenco.

“Tivemos essa conversa com o presidente, que nos apoiou e foi muito produtiva. Falamos da fatalidade da eliminação e nós sabemos da responsabilidade do próximo jogo. Amanhã (sábado) vamos buscar a vitória”, disse o meia Renatinho, que não está confirmado para a partida. “É um jogo importante e vamos fazer o melhor. Felipe (Conceição) corrigiu os erros.”

Pelo lado do Flamengo, impera a tranquilidade. O time ainda não sofreu gol na competição e precisa apenas manter a escrita para avançar à final. A equipe poderá ter força máxima pela primeira vez, inclusive com a estreia do atacante Henrique Dourado.

O zagueiro Juan preferiu afastar o favoritismo. “Clássico não tem favorito. Sempre vai ser jogo difícil, pela grandeza do Botafogo. O duelo nos últimos anos tem sido acirrado, com jogos difíceis e decididos nos detalhes. Esse não será diferente.”

O zagueiro também comentou sobre a provável estreia de Dourado – o técnico Paulo Cesar Carpegiani não confirmou a equipe. Para Juan, o atacante pode acabar decidindo a partida. “Mas temos que fazer o melhor coletivamente. Independentemente de quem brilhar, temos que sair vencedores.”

Fonte: Estadão