Se Gatito Fernandez fez história defendendo três pênaltis contra o Olimpia (PAR), nesta quarta-feira (22), pela Copa Libertadores, Helton Leite sentiu e teve que ser substituído. Com isso, todos os goleiros alvinegros tiveram problemas com lesão nos últimos tempos. Dentre eles, o ídolo Jefferson. Em entrevista exclusiva ao Arena Transamérica, da Rádio Transamérica, o preparador de goleiros do clube Flávio Tênius disse que pensa no camisa 1 jogando a Copa Libertadores, mas considera a fase de grupos ainda cedo.

– A gente tem expectativa. Como a Libertadores é uma competição muito longa neste ano, a gente não descarta que ele ainda possa jogar. Mas a fase de grupos é muito cedo ainda, acho que não volta antes de dois meses, três meses. Não vou dar uma previsão porque depende muito de como ele vai reagir nesta fase final de recuperação, o fortalecimento do braço, depois começar a trabalhar com bola. A gente está fazendo tudo em paralelo, juntinho, para quando ele voltar, estiver liberado totalmente do braço, ele já estar fisicamente em forma, então seria só a questão técnica – garantiu Tênius, que fez questão de tirar o receio dos botafoguenses que pensam se o grande Jefferson voltará a sua melhor fase quando retornar.

– Eu não tenho dúvidas de que ele vai voltar a ser o Jefferson que o torcedor do Botafogo conheceu e ele vai ajudar muito a gente ainda nesta temporada. É claro que fica uma ansiedade, porque ele vê o time jogando e não pode jogar. Ele já está indo para quase um ano de inatividade. Então um ano sem poder fazer o que a gente gosta, acho que em qualquer área deve ser muito doído para a pessoa. Mas ele está num momento de recuperação muito intenso, intensivo, e a gente está lá diariamente com ele, acompanhando isso, já está no campo fazendo trabalhos com os pés, com as mãos ainda não. Então ele ainda tem um tempo para cumprir no trabalho de recuperação, mas eu não tenho dúvida que ele vai voltar 100%, voltar no nível que a torcida espera e que todos nós esperamos também – afirmou.

Parceria segue desde os tempos de Cruzeiro (MG), quando Jefferson iniciava sua carreira

Flávio Tênius e Jefferson se conhecem de longa data. Em 2000, quando o goleiro subiu aos profissionais do Cruzeiro, Tênius era o preparador da equipe mineira, que na época era treinada por Felipão. Por lá, o camisa 1 jogou mais de 80 jogos e conquistou três titulos entre os profissionais. Dez anos depois, eles foram se reencontrar no Fogão, mas tiveram a parceria interrompida em 2014, quando Flávio saiu do clube. Porém, no segundo semestre do ano passado, voltou a pedido do goleiro. Por conhecer Jefferson como poucos, Tênius contou como anda o comportamento do jogador neste período de recuperação.

– Ele teve essa infelicidade nessa lesão do braço esquerdo que deu uma travazinha no grande momento que ele estava, jogador de Seleção Brasileira, mas a gente que convive novamente diariamente, a gente sabe que ele está muito feliz até. Já se passaram quase três meses que ele fez a cirurgião. Está totalmente cicatrizada a lesão, está começando a trabalhar no fortalecimento do braço. Ele está muito feliz, porque não está sentindo dor, tem a certeza que vai voltar, e nós também, pelo atleta que ele é, sempre se cuidou, nunca teve problema com peso – revelou.

Glória de Gatito nos pênaltis não foi por acaso

Além disso, Flávio Tênius foi perguntado, é claro, sobre a situação em que esteve na última partida contra o Olimpia (PAR), vendo o titular naquela ocasião se machucar, que era o Helton Leite, e Gatito Fernandez tendo que substituí-lo. O paraguaio não só entrou, como defendeu três pênaltis e foi o grande herói da classificação do Glorioso para a fase de grupo. Tênius comentou como foi esta preparação para a disputa nas penalidades máximas.

– Tanto o Gatito, como o Helton já tinham alguma noção. A gente não tinha todos os batedores, mas já tinha uns seis que a gente estudou exaustivamente, que a gente já tinha ideia de como eles bateriam e isso sempre ajuda. Não vou dizer que é isso é determinante, as vezes o cara muda, ou o próprio goleiro tem um sentimento ali na hora e ele mesmo muda o canto. Então ontem até aconteceu isso, o jogador bateu no canto que a gente não tinha estudado e ele acabou pegando. Então eles tem essa informação que sempre ajuda e ajudou mais uma vez – comemorou.

Enquanto Jefferson e Helton Leite se recuperam de lesão, Gatito Fernandez será o titular da meta alvinegra, cheio de moral após decidir a partida no Paraguai a favor do Bota. O time comandado por Jair Ventura volta a campo no dia 14 de março, para enfrentar o Estudiantes (ARG), no Estádio Nilton Santos, pela primeira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores da América.

Fonte: FutRio